3 de março de 2018
publicado às 20h25
Denúncia da Veja sobre corrupção no Ministério do Trabalho, coloca o PTB longe da vice de Zé Eliton
Deputado Jovair Arantes e seus principais prefeitos do PTB, Hildo do Candango (Águas Lindas), Roberto Naves (Anápolis) e Zé Antônio (Itumbiara) terão que refaz suas estratégias no apoio aos seus candidatos a deputado estadual. Denúncia de Veja fez estragos no partido

Deputado Jovair Arantes e seus principais prefeitos do PTB, Hildo do Candango (Águas Lindas), Roberto Naves (Anápolis) e Zé Antônio (Itumbiara) terão que refaz suas estratégias no apoio aos seus candidatos a deputado estadual. Denúncia de Veja fez estragos no partido

Por Wilson Silvestre – Em tempos de Lava Jato e caça aos corruptos, notícias sobre roubalheira no setor público em todos os níveis, eram para ser algo raro, mas os políticos parecem não temer a Lei e a opinião pública. Mesmo com muitos personagens que até recentemente se julgavam imunes e hoje, saboreiam ‘quentinhas’ franciscanas no xilindró, tem gente que não percebeu a nova realidade do país.

Como diz os antigos: “O uso do cachimbo é que entorta a boca” ou seja, o dinheiro do contribuinte é uma tentação e o caminho mais curto para encher as burras. A coisa está tão endêmica que mais uma vez a mídia toca bumbo narrado as estripolias destas ratazanas do poder, conforme denúncia da revista Veja desta semana (3/3).

O escândalo da hora tem como protagonista o combativo PTB, mais precisamente o de Goiás, comandado pelo líder da bancada na Câmara Federal, Jovair Arantes, atingido de frente com a denúncia. De acordo com a Veja, o esquema cobrava propina para liberação de registro sindical e “Por trás dele estão dois sobrinhos de Jovair: Leonardo Arantes, que foi alçado por ele secretário-executivo no Trabalho, e Rogério Arantes, diretor do Incra. Foram cobrados 3,2 milhões de reais do empresário Afonso Rodrigues de Carvalho, dono de uma pequena transportadora e presidente do Sintrave, um sindicato das microempresas de transporte rodoviário de veículos novos do Estado de Goiás, em troca do registro”. Mais em Reportagem de Veja desta semana

Claro que o deputado Jovair emitiu nota desmentindo seu envolvimento, bem como o presidente nacional da legenda, Roberto Jefferson. “Ao PTB não cabe apurar denúncias, e o partido recebe com reservas o conteúdo publicado pela revista – contudo, não vai se eximir de, no curso das investigações, tomar as medidas que julgar necessárias internamente”, disse Jefferson no comunicado. Em nota distribuída à imprensa, Jovair diz não conhecer “tais lobistas, jamais teve qualquer relação com eles e sequer soube do assunto que pretensamente os interessava”.

De qualquer modo, o estrago está feito e deve refletir nas pretensões do PTB de Jovair Arantes indicar nome na vaga de vice-governador na chapa do pré-candidato ao Governo de Goiás, Zé Eliton (PSDB). Este balde de gelo na ambição do partido que estava com a faca entre o dentes, conforme deixou claro o deputado estadual, Henrique Arantes em entrevista ao jornal Tribuna do Planalto semana passada. (http://tribunadoplanalto.com.br/2018/02/25/entrevista-ptb-quer-a-vice-em-qualquer-chapa/) “Queremos que o PTB tenha seu candidato a vice na chapa que seja. Nossos aliados naturais são o governador Marconi Perillo e o vice José Eliton, mas se não nos quiserem, nós vamos com essa mesma proposta para qualquer outra candidatura”. Disse ele com clareza.

Depois desta denuncia, dificilmente o PTB emplaca um vice tanto na chapa Marconista, Daniel Vilela (MDB) ou de Ronaldo Caiado (DEM). Não só. Por tabela, prefeitos como os de Águas Lindas, Hildo do Candango que recentemente trocou o PSDB e voltou ao PTB de olho na vaga de vice, possivelmente para sua mulher, Aleandra Sousa, terá que refaz os cálculos. Outros como e de Itumbiara, Zé Antônio e o de Anápolis, Roberto Naves vão enfrentar opositores mais aguerridos tendo como bandeira a ‘mancha’ do PTB na política. Quem viver, verá!

Escreva um comentário