19 de junho de 2018
publicado às 14h25
Wilder Morais não empolga prefeitos e deixa um vazio na base de Ronaldo Caiado
Senador Wilder Morais deveria deixar uma camisa de reserva no seu helicóptero ou carro, preferencialmente mais escura. Branco afasta as pessoas simples de qualquer contato e o que ele mais precisa e mostrar que gosta de gente e não só de poder. Mire no exemplo do líder Ronaldo Caiado (Reprodução: Facebook)

Senador Wilder Morais deveria deixar uma camisa de reserva no seu helicóptero ou carro, preferencialmente mais escura. Branco afasta as pessoas simples de qualquer contato e o que ele mais precisa e mostrar que gosta de gente e não só de poder. Mire no exemplo do líder Ronaldo Caiado (Reprodução: Facebook)

Por Wilson Silvestre – O pré-candidato ao Governo de Goiás pela oposição, senador Ronaldo Caiado (DEM), pode se gabar que a maioria das lideranças nas variadas siglas querem fazer parte de sua chapa majoritária. Afinal, são duas vagas para senador, portanto, as chances para eleger um companheiro são grandes. Isto porque historicamente, o candidato a governador bem posicionado nas pesquisas – caso de Caiado –, tende a ‘puxar’ votos para o postulante ao Senado.

Mas, estranhamente, o líder das intenções de votos para governar os goianos, por mais esforço que faça, não tem conseguido empolgar o eleitor com a reeleição do senador Wilder Morais (DEM). Não é por culpa de Caiado, mas por dois importantes fatores: a indiferença dos prefeitos com reeleição de Wilder e sua total inabilidade no trato com a massa. Ao manter-se na zona de conforto, o senador deixa um grande número de votos para o Senado, à deriva. Este eleitor vota em Caiado, mas para senador acaba votando em ou coligação.

Ser milionário não faz Wilder um político identificado com as agruras do andar de baixo da população. Falta ao senador o exercício cotidiano em conquistar votos, algo natural para quem está próximo da população, quer em eventos promovidos por prefeitos, festas religiosas, rodeios, exposições agropecuária, bailes de formaturas, festas cívicas, enfim, quem respira e capta as aspirações do povo.

Wilder mais parece aqueles ‘janotas’ do Velho Oeste quando chega numa cidade pequena, atrai olhares, mas ninguém se aproxima. Tão arrumadinho e bem vestido que o povo tem receio em chegar muito perto, preocupados em sujar a camisa ou pisar em seu lustroso sapato. Assim, por mais esforço que Ronaldo Caiado faça, é muito peso para levantar.

Em conversas com prefeitos nas mais distintas regiões do estado, o blog captou que o sentimento é mais ou menos consensual: “Caiado precisa buscar outro nome para o Senado, de preferência do Sudoeste ou do Norte do estado”. Sugerem também que Wilder como homem público é mais um empresário que sabe ganhar dinheiro, mas não entende nada de gente. “Está na hora do senador justificar o mandato, arregaçar as mangas da cima, calçar botina e fazer poeira, senão pode voltar ao seu luxuoso escritório e esquecer o tapete azul do poder”, diz um prefeito do Entorno de Brasília.

Escreva um comentário