4 de abril de 2019
publicado às 07h56
Hildo do Candango se reinventa fazendo mais para a população com o mínimo de recursos
Prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango reunido com todos os secretários municipais, engenheiros e arquitetos para avaliar cronograma de obras e cobrar agilidade. “Só temos 20 meses para concluirmos os projetos e vamos finalizar todos”. (Divulgação: Secom/PMAL)

Prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango reunido com todos os secretários municipais, engenheiros e arquitetos para avaliar cronograma de obras e cobrar agilidade. “Só temos 20 meses para concluirmos os projetos e vamos finalizar todos”. (Divulgação: Secom/PMAL)

Por Wilson Silvestre – Nenhuma sociedade muda o curso de sua história se não tiver lideres para conduzi-la rumo ao desenvolvimento. Sem o carisma de um líder para transformar desejos e sonhos em ações práticas, qualquer iniciativa redunda em catástrofe ou fracasso. Não basta ser o escolhido pelo referendo das urnas e comportar-se como governante tradicional. Isso todos fazem. É necessário ter a singularidade em fazer diferente não repetindo fórmulas desgastadas de quem usa a política para se servir.

Neste contexto a trajetória política do prefeito de Águas Lindas, Osmarildo [Hildo do Candango] Alves de Sousa merece ser citada como um case de sucesso em gestão pública. Desde 1996 quando decidiu mudar para a cidade, Hildo e sua carismática mulher Aleandra Sousa focaram em dois objetivos: a gestão da Mercearia Candango e a política. Como empreendedor, ele percebeu que o município tinha um grande potencial para se desenvolver, mas faltavam ações de políticas públicas e liderança para alavancar este potencial.

Aos poucos, suas idéias foram atraindo pessoas que pensavam como ele e logo seu nome ganhou força eletiva. Primeiro como prefeito, deputado estadual, prefeito novamente e reeleito. Promoveu avanços em saneamento básico, asfalto, saúde, educação e segurança pública, Mas, alguns feitos de sua gestão entra para a história de Águas Lindas pela porta da frente: abastecimento definitivo em saneamento básico e prestação de serviços em saúde.

Não só pela transformação da cidade em modelo de gestão, sobretudo pela habilidade em aglutinar aliados e enfrentar o templo sagrado da burocracia pública. Pode parecer pouco, mas se considerar que, ao assumir o comando do município pela primeira vez, Hildo enfrentou não só os problemas administrativos como também a baixa confiança dos cidadãos no poder público. Ele arregaçou as mangas de foi à luta. Na mesma proporção em que resgata a autoestima da população com a cidade, também mostrava que era possível fazer mais como o mínimo de recursos.

Exemplos não faltam: A cidade que antes tinha 0% de saneamento básico hoje conta com uma Estação de Tratamento de Esgoto com capacidade para atender até 500 mil habitantes. Na infraestrutura, o município saiu de um percentual de 19% para mais de 80% das ruas pavimentadas em apenas quatro anos. E não para. A meta é alcançar 100% até o final da gestão.

Esta capacidade de trabalho, respeito ao cidadão e humildade, fez de Hildo um líder influente que será fator de desequilíbrio na próxima disputa para prefeito em 2020. Ele e seus apoiadores reúnem um condomínio de vários partidos que, mesmo não sendo da trupe governista, terão peso eleitoral. Além disso, a gestão Hildo mantém constantes investimentos na cidade, mesmo sem ajuda do Governo de Goiás e poucos recursos federal.

Seus olhos sempre atentos, vigiam o dinheiro do contribuinte com aguçado senso de responsabilidade, investindo cada real em obras ou em serviços prestados à população, principalmente em saúde. Muitos colegas prefeitos brincam perguntando qual é o segredo para tantas obras? Simples: ao menor sinal de desperdício, Hildo aciona o alarme e convoca os gestores da área pedindo explicações. Assim, sua gestão passa ao largo de escândalos, algo quase rotineiro em gestões anteriores.

Sempre repete que “estamos aqui para servir a população, prestando bons serviços, aplicando cada recurso para transformar, cada vez Águas Lindas na melhor cidade da Região Metropolitana de Brasília para viver, trabalhar e criar os filhos”.

Escreva um comentário