12 de setembro de 2019
publicado às 12h10
Hildo do Candango quer distância da ‘treta’ PTB X Caiado e desmente “rumores” de que vai comandara a sigla
ORIGEM DOS “RUMORES” - A imagem ilustra a visita em agosto do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson ao governador e amigo, Ronaldo Caiado (no centro). A partir desta foto surgiu especulações de que o PTB iria mudar de mãos em Goiás. (Reprodução: Jornal Opção).

ORIGEM DOS “RUMORES” – A imagem ilustra a visita em agosto do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson ao governador e amigo, Ronaldo Caiado (no centro). A partir desta foto surgiu especulações de que o PTB iria mudar de mãos em Goiás. (Reprodução: Jornal Opção).

Por Wilson Silvestre – Com a proximidade da disputa eleitoral para prefeitos e vereadores ano que vem, o que não faltam são especulações sobre o papel que lideranças expressivas vão desempenhar. Caso do prefeito de Águas Lindas e presidente da Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (Amab), Hildo do Candango (PTB). Ultimamente, por conta de seu trabalho à frente das demandas dos prefeitos da Amab, tem mantido diálogo constante como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado e provocado ciúmes de tucanos e ‘parças’ no PTB.

Esta proximidade vem gerando especulações de que o governador o teria convencido a permanecer no PTB pois, em breve, o partido por conta de sua oposição ao governo de Goiás, mudaria de comando. Nos bastidores do serpentário político o que mais se ouve é que o presidente nacional da legenda, Roberto Jefferson teria garantido a Caiado em sua recente visita ao governador, que o PTB acredita “no modelo de administração que está sendo implantado. E, por isso, defende que seus companheiros de partido apoiem o que está sendo feito pelo governador”, registrou o Jornal Opção em 21 de agosto.

Nesse mesmo encontro, Roberto Jefferson teria sinalizado que se o partido não se alinhasse ao governo, sofreria intervenção no diretório regional. Dessa data até o momento, o que mais se vê é o único deputado estadual do partido em Goiás, Henrique Arantes descer o tacape no governo. No meio desse imbróglio, encontram-se os prefeitos do partido que vão disputar a reeleição e temem que o desgaste prejudique possíveis alianças.

Pelo sim ou pelo não, já tem prefeito pulando fora do barco petebista, caso de Roberto Naves, de Anápolis que anunciou sua ida para o PP (Agora Progressista). Outro nome forte do partido é o prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango (Por enquanto no PTB). Embora não possa candidatar-se por estar cumprindo oito anos de mandato, ele é um dos líderes mais influentes no Entorno de Brasília. Devido a esta liderança, mantém constantes conversas como o núcleo de poder do governo Caiado, a ponto de gerar ciúmes de aliados.

Ao Jornal Opção, Hildo disse que “essa não é uma discussão que ocorre dentro da sigla, e que ele tem acompanhado apenas por “rumores” na imprensa”. Ele joga ‘água benta’ na fervura das especulações dizendo que “no passado houve alguns desentendimentos com [Jovair e Roberto Jefferson] o presidente nacional mas não acredito que essa mudança será concretizada”, afirma Hildo. O prefeito também nega que esteja sendo sondado para assumir a presidência estadual da sigla.

Prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango caminha no serpentário político com muita prudência: um olhar nas ‘cobras’ e outro no cenário que 2020 vai produzir em sua jornada até 2022. (Arquivo: Goiás DF)

Prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango caminha no serpentário político com muita prudência: um olhar nas ‘cobras’ e outro no cenário que 2020 vai produzir em sua jornada até 2022. (Arquivo: Goiás DF)

Estrategicamente, Hildo mantém-se ao largo da disputa eleitoral em Águas Lindas deixando que aliados escolham um nome e, a partir da escolha, apoiá-lo. Por enquanto o nome mais forte ainda é o do vice-prefeito, [Jiribita] Luiz Alberto de Oliveira (PTB). No grupo que dá sustentação política ao governo de Hildo, ainda não apareceu um nome que aglutine forças suficientes para enfrentar os dois concorrentes fortes do lado de Ronaldo Caiado: Túlio Silva (Democratas) que teve mais de 10 mil votos na cidade e o empresário [Zé da Imperial] José Barbosa da Silva (PSC).

Este cenário é que afasta Hildo do olho do furacão da contenda do PTB contra Caiado. Ele mira em 2022 que terá uma disputa acirrada pelo poder tendo como base 2020. Devido ao esfacelamento do PSDB, a base que sustentava o Marconismo, aos poucos vai se derretendo. Como a prudência é sábia, Hildo quer ficar fora dessa ‘treta’ grupo Jovair Arantes contra Ronaldo Caiado. No dizer dos aurilandenses: “Em lago cheio de piranhas, jacaré nada de costa”.

Escreva um comentário