20 de setembro de 2019
publicado às 07h43
A ‘velha política’ em perseguir adversários resgata Luiz Attié e pode enterrar reeleição de Daniel do Sindicato
Prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato enfrenta dois desafios para sua reeleição: alto índice de rejeição e a crescente onda do ‘volta Attié’. Para piorar, sua gestão não é criativa e tende a se esvaziar a partir do próximo ano. (Montagem sobre fotos de arquivos do blog)

Prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato enfrenta dois desafios para sua reeleição: alto índice de rejeição e a crescente onda do ‘volta Attié’. Para piorar, sua gestão não é criativa e tende a se esvaziar a partir do próximo ano. (Montagem sobre fotos de arquivos do blog)

Por Wilson Silvestre – A política é magnetizadora e cheia de armadilhas, exigindo do postulante a um cargo eletivo, seja o de presidente da República, governador, senador, deputado federal, estadual, prefeito ou vereador, muita paciência, estômago e capacidade de adaptação ao ambiente. Não importa o mau humor do eleitor e, em particular dos brasileiros, quando o assunto é eleição. Até ai, normal, afinal somos um país democrático e todos têm direito em disputar qualquer cargo no legislativo ou executivo.

Cada cidade com suas características, problemas e demandas ouvem atentas e às vezes, confusas propostas de seus pré-candidatos. Todos têm soluções milagrosas para os problemas da falta de saneamento básico, água tratada, moradia, infraestrutura, segurança e por ai vai. Só que entre a realidade do País e as promessas, existe um abismo quase intransponível para se alcançar a margem que permite realizar esses compromissos.

Cristalina, município que ostenta indicadores econômicos invejáveis, com um PIB per capita de R$ 42.330,24 de dar inveja em muitas cidades brasileiras, está se preparando para a ‘guerra eleitoral’ no próximo ano. Mas, quando se olha para os indicadores sociais, percebe-se que dos 246 municípios goianos, ocupa 112ª (centésima décima segunda posição) com 35,5% das famílias recebendo um salário mínimo e meio per capita por mês (dados do IBGE de 2017). Ou seja, dos 58.997 habitantes projetados para 2019, temos 21.300 pessoas nessas condições. Não é de se estranhar os índices de violência, principalmente contra o patrimônio devido essa concentração de riqueza.

Este é um dos desafios que o próximo prefeito terá que enfrentar sem contar infraestrutura, moradia, saúde — cada vez mais onerosa ao município — e segurança. Somado a eles, equipamentos urbanos e investimentos na qualidade de vida. Nenhuma gestão consegue em apenas quatro anos cumprir promessas feitas durante a campanha. Portanto, o atual prefeito, Daniel do Sindicato (PSB) se desponta como concorrente a reeleição, tendo como base esta proposta: dar continuidade ao que está realizando. Este será seu cartão de visitas ao bater na porta do eleitor e perguntar se ele merece mais quatro anos à frente da prefeitura.

A partir daí começa seu calvário na conquista do voto e, diferente da campanha em 2016, onde era pedra contra a gestão de Luiz Attié, agora será vidraça. Ele vai perceber que a ‘velha política’ em perseguir adversários cobra seu preço, Em alguns momentos, verá que transformou seu antigo adversário em vítima e que seus ‘vereadores domesticados’ estão mais preocupados com eles e não com sua reeleição.

Outra lição que Daniel e seu grupo está tentando entender é que não se mata ideias. Mesmo que troque as placas de inauguração em edificações da gestão anterior, a memória continua viva e regatando o legado do ex-prefeito Luiz Attié (Democratas). Para o grupo de Daniel não importa os altos índices de rejeição de seu governo. O jogo é vencer a qualquer custo pois a sobrevivência política depende de sua vitória. O problema é convencer o eleitor que ele merece mais quatro anos à frente da prefeitura.

Pré-candidatos a prefeito de Cristalina que passam ao largo do Palácio Etienne Lespesqueu, sede do poder municipal: ex-candidato a prefeito Maks Louzada, vereador Dr. Osório e o empresário Cabo Mendes

Pré-candidatos a prefeito de Cristalina que passam ao largo do Palácio Etienne Lespesqueu, sede do poder municipal: ex-candidato a prefeito Maks Louzada, vereador Dr. Osório e o empresário Cabo Mendes

ATTIÉ ESTÁ NO CORAÇÃO E MENTES DO POVO – Por enquanto, Attié tem se desviado com habilidade das armadilhas colocadas em seu caminho, a maioria delas armadas pelo grupo de Daniel e seus ‘amestrados vereadores’. Até mesmo outros pré-candidatos a prefeito como o combativo vereador Dr. Osório [Fernando de Sousa] do PHS tem sido tratado com desdém, assim como o delegado Rafael Pareja (PSL). Na lista negra dos aliados de Daniel, consta também o empresário supermercadista Cabo Mendes (sem partido), o ex-candidato a prefeito, Maks Louzada (PSD) preterido por Cristalina e recebido por Anápolis e hoje, diretor no Goiás entre outros menos cotados.

Sem dizer que é pré-candidato, Luiz Attié é o maior obstáculo no caminho da reeleição de Daniel. Além disso, eleitores sugerem ao prefeito “governar mais para a cidade se tornando Daniel de Cristalina e não dos produtores rurais”, afinal, dos quase 59 mil habitantes do município, 90% vivem na cidade.

Luiz Attié mantém-se discreto e não se arrisca a conversar sobre a disputa eleitoral de 2020 no município. “Estou distante das discussões e meu papel ultimamente tem sido de um expectador”, desconversa. Questionado por que gente ligado a ele insiste em dizer que será candidato, mesmo tendo pendências de sua última gestão, responde enigmático: “Olha, vejo com simpatia a lembrança e até a indicação de meu nome para uma possível pré-candidatura, mas eu estou focado mesmo é em resolver pendências de minha gestão, Algumas delas, provocadas pelas perseguições de meus adversários”.

O blog insistiu em extrair um pista de seu futuro, mas irredutível, reafirma que as negociações políticas sempre estão acontecendo e em Cristalina não é diferente. “Penso que só a partir do início de janeiro de 2020 será possível perceber com mais clareza, quais forças políticas vão estar na disputa. Neste momento só existem especulações e mesmo assim em grupos distintos. O cristalinense está mais preocupado é com a falta de empregos, segurança, saúde e sua qualidade de vida deteriorada nos últimos dois anos”, resume.

Mas, como ensinava o bom e experiente político mineiro Magalhães Pinto: política é como nuvem: você olha está de uma forma, olha novamente e já mudou. Além do mais, o ex-prefeito está no coração e mentes dos cidadãos cristalinenses. Por mais que o grupo de Daniel trombeteia que Attié “dificilmente poderá ser candidato”, ele vai continuar sendo a expectativa nos corações e mentes de muitas pessoas em Cristalina. Attié sabe que Daniel tem muito pouco a oferecer ao eleitor para merecer um cheque em branco para 2021.

Escreva um comentário