31 de outubro de 2019
publicado às 18h37
Esposa de João de Deus e advogado são investigados por sumiço de dinheiro do médium

Ana Keila Teixeira enviou para Ronivan Peixoto Júnior mala com R$ 3 milhões sem origem. Equipes da Deic estão investigando o caso.

Ana e o ex-advogado Ronivan teriam sumido com a mala com R$ 3 milhões

Ana e o ex-advogado Ronivan teriam sumido com a mala com R$ 3 milhões(Foto reprodução)

Por Antônio de Olivos Guatambu Y Pá( Site Dia on line) – A esposa do médium João de Deus, Ana Keila Teixeira e o ex-advogado dele, Ronivan Peixoto Júnior estão na mira de duas delegadas da Polícia Civil e suas equipes de investigadores por conta de uma mala supostamente contendo R$ 3 milhões que desapareceu misteriosamente.

A mala estava sendo conduzida por Ana Keila no início de setembro quando estava no auge a investigação contra o médium e Ronivan Peixoto ainda patrocinava a defesa de João de Deus. Em Abadiânia, até as pedras da Casa de Dom Inácio sabem do caso e comentam a boca miúda. Conta-se que em uma noite, por volta das 23 horas Ana Keila estava circulando pelas ruas em seu carro com a mala recheada de dinheiro.

A notícia dá conta de que seriam aproximadamente R$ 3 milhões em espécie que o médium guardara em uma de suas casas e que o Ministério Público e a Polícia Civil poderiam apreender. Por isso a esposa do médium resolveu tirar o dinheiro de casa. Em seu périplo andando pelas ruas a essa hora já avançada e sabendo que poderia acontecer algo mais grave, Ana Keila teria pedido ajuda a um amigo chamado Patrick, sobrinho de Hamilton, gerente da Casa de Dom Inácio. “Ela [Ana Keila] pediu ao Patrick para guardar a mala e entregar no dia seguinte para Ronivan Peixoto Júnior”, contou uma fonte para a Polícia Civil.

Mala de dinheiro que estava com esposa de João de Deus teria sumido misteriosamente

O medo de Ana Keila era agravado pela neura de que ela estaria sendo seguida por um carro supostamente com pessoas do Ministério Público. Daí pra frente, contam que Patrick entregou fielmente a mala para Ronivan sem mexer em nada e a mala tomou um sumiço misterioso.

As duas delegadas da Deic escaladas para investigar o caso estão com dados do carro onde teria sido transportado o numerário, depoimentos já prestados informalmente por pessoas que sabem do caso e já mirando indiciamento por obstrução à Justiça e lavagem de dinheiro. “Isso ainda vai dar cadeia para alguém”, garantiu uma das delegadas.

A reportagem entrou em contato com o advogado Ronivan Peixoto Júnior para ouvir sua versão pelo telefone mas, sem sucesso.

Escreva um comentário