24 de janeiro de 2020
publicado às 11h38
No passado recente o MDB de Valparaíso era o patinho feio, agora é objeto de desejo
Pré-candidato a prefeito de Valparaíso, Walter Alfredo (sem partido) em entrevista ao radialista e dublê de influencer digital, Elifas Barros é categórico: “Tenho a promessa de Beto Mazzocco que serei o candidato do MDB”. (Arquivo pessoal)

Pré-candidato a prefeito de Valparaíso, Walter Alfredo (sem partido) em entrevista ao radialista e dublê de influencer digital, Elifas Barros é categórico: “Tenho a promessa de Beto Mazzocco que serei o candidato do MDB”. (Arquivo pessoal)

Por Wilson Silvestre – Há muitos anos que o MDB tornou-se uma quimera no Entorno de Brasília. A última liderança com densidade eleitoral na região foi o ex-deputado federal Marcelo Melo, hoje filiado ao Democratas. Em 2016, o governador de Goiás, Marconi Perillo insistiu até arrastar Marcelo para o ninho tucano, mas foi breve sua estada. Logo ele percebeu que era um estranho no ninho e, assim que então candidato ao Governo de Goiás, Ronaldo Caiado anunciou que ia disputar o governo, filiou-se no Democratas. De lá para os dias de hoje, o presidente emedebista em Goiás, Daniel Vilela tem se esforçado para juntar os cacos e oxigenar o partido, principalmente no Entorno de Brasília.

Este esforço surtiu efeito e a primeira liderança realmente consistente no Entorno, prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró deixou o PSDB e abraçou a causa emedebista. Mossoró uniu a fome com a vontade de comer pois estava às turras com a deputada estadual, Lêda Borges (PSDB). Foi um alarido só entre as principais lideranças políticas do município e região, mas em se tratando de disputa eleitoral não existe calmaria em ano de eleição. Com o rompimento entre as duas principais lideranças da cidade, todo mundo se arvorou a disputar a prefeitura se apresentando como ‘viável’.

Entre os inúmeros pretendentes em jogar pedras no caminho de Pábio, encontra-se o veterano militar da reserva, Walter Alfredo. Ele jura que tem um acordo com o ‘invisível’ presidente do partido no município, Beto Mazzocco em bancá-lo para prefeito. Questionado pelo blog sobre a nova configuração do MDB em Valparaíso, Alfredo é categórico “Vou disputar na convenção”. Só tem um porém: não existe um diretório estruturado em Valparaíso e sim uma comissão provisória, portanto, os membros que serão escolhidos para compor a nova comissão emedebista terá maiores afinidades com o prefeito Pábio. Além disso, Alfredo não é filiado ao MDB.

Questionado sobre suas pretensões em disputar a vaga majoritária no partido sendo que nem filiado ele é, Alfredo disse que está “dentro do prazo legal” e pode se filiar a qualquer momento. Tudo vai depender das negociações. “Na próxima semana vou participar de uma reunião com a ala do partido que me apoia para avaliarmos o quadro”. O blog entende que o grupo ‘dissidente’ está procurando um aceno do prefeito pois as chances de provocar ‘estragos’ na consolidação de Pábio como pré-candidato a reeleição pelo MDB, é próxima de Zero. Como diria minha bisavó: “É no andar do carro que as abóboras se ajeitam”. Veremos!

Escreva um comentário