19 de abril de 2020
publicado às 23h48
Todos contra Pábio Mossoró ou árvores que não dá frutos, ninguém joga pedras
Deputado federal Célio Silveira (PSDB) literalmente ficou no meio separando Lêda Borges – também tucana – do prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró (MDB). Por conta deste rompimento, Lêda fará tudo para derrotar o ex-pupilo ‘rebelde’.

Deputado federal Célio Silveira (PSDB) literalmente ficou no meio separando Lêda Borges – também tucana – do prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró (MDB). Por conta deste rompimento, Lêda fará tudo para derrotar o ex-pupilo ‘rebelde’.

Por Wilson Silvestre – Três grupos políticos se apresentam como adversários juramentados do atual prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoro (MDB). O prefeito tem desgastes, mas aprendeu a caminhar no serpentário político de Valparaíso. Tem o controle da máquina e montou uma boa aliança política, além disso, conta com o apoio da grande maioria dos pequenos e médios empresários. Em que pese receber críticas dos adversários, administra bem a crise provocada pelo Covid 19.

Quanto a ‘Leoa de Valparaíso’, deputada estadual por Goiás, Lêda Borges (PSDB) é bom ninguém subestimar sua força política. Mesmo não se declarando candidata, 10 entre 10 políticos garantem que é candidatíssima. “Ela tem o ex-pupilo Pábio atravessado na garganta e vai usar esta mágoa para derrotá-lo”, disse um marconista ao blog.

Os outros são o grupo do ex-candidato a prefeito na eleição passada, Afrânio Pimentel (PP) escudeiro do manda chuva do partido em Goiás, Alexandre Baldy. O problema de Afrânio é ser muito vaidoso e não calçar as sandálias da humildade. Se ele refazer seus passos da eleição passada pode montar uma tropa de choque competitiva.

Os outros grupos tentam se firmar como a quarta força e derrotar o prefeito Pábio. Entre eles, o do dentista e empresário na área de saúde, Marcelo Sorriso, do PSD. Marcelo é habilidoso, mas entrou meio tardio na corrida e precisa se firmar como liderança. É inteligente, vocacionado a servir e honesto. É bom ficar de olho nele pois vai dar trabalho.

O vereador Elvis Santos (Solidariedade), Maria Yvelonia (Republicanos), Sirley Azevedo (PSL) e o grupo do ex-prefeito, Zé Valdécio (PTB), correm na raia de fora. Não são orgânicos, mas tem a seu favor a experiência e maturidade política. Só terão chances se unirem forças. Solitário como a decadente estrela do lulopetismo, encontra-se o ético e ideológico Professor Silvano (PT). É um homem decente, tem votos para se reeleger vereador, mas vai para o ‘sacrifício’ partidário. Todos os grupos só tem um objetivo: atacar o prefeito Pábio Mossoró e fazê-lo sangrar até o dia da eleição.

Escreva um comentário