19 de julho de 2020
publicado às 14h07
VALPARAÍSO | ‘Cristão novo’ no serpentário eleitoral, Marcelo Sorriso busca resgatar a ‘boa política’

Pré-candidato a prefeito de Valparaíso, Marcelo [Sorriso] Fernandes Félix surge como fato novo, por isto tem como obstáculo a ser vencido, resgatar a confiança dos cidadãos fragilizados pela perda de credibilidade nas instituições, partidos e os mesmos rostos de sempre da política local. (Reprodução Facebook pessoal)

Pré-candidato a prefeito de Valparaíso, Marcelo [Sorriso] Fernandes Félix surge como fato novo, por isto tem como obstáculo a ser vencido, resgatar a confiança dos cidadãos fragilizados pela perda de credibilidade nas instituições, partidos e os mesmos rostos de sempre da política local. (Reprodução Facebook pessoal)

Por Wilson Silvestre – O eleitor está cansado do arcaísmo da política brasileira onde as promessas mirabolantes de campanhas são repetidas, exaustivamente, eleição após eleição sendo a maioria delas inexequíveis. Este ‘modelo’ para conquistar votos tornou-se um mantra da ‘velha política’ que insiste em continuar enganando o cidadão menos esclarecido. Gente simples que representa a maioria do capital votante no país, mas agora, felizmente está atenta a estes vendedores de ilusões.

A prática em ‘desconstruir’ quem está no poder, tem sido aplicada com ênfase nas redes sociais pelos pré-candidatos a prefeito de Valparaíso. Eles apontam as cáries do prefeito Pábio Mossoró (MDB), mas escondem o sorriso que sua gestão executa em muitos bairros, historicamente desdentados de poder público. A imagem é propositalmente citada para destacar o papel desempenhado pelo ‘cristão novo’ na política do município, o cirurgião-dentista, Marcelo Sorriso (PSD). Ele se distancia do pelotão dos pré-candidatos a prefeito — todos eles veteranos no embate eleitoral — que usam como arma, defenestrar a gestão de Pábio Mossoró.

Marcelo está na contramão desta corrente propondo um conceito positivista que agrega no lugar de promessas e ataques, a inserção do conhecimento como principal força capaz de transformar a estagnação econômica numa era de prosperidade. O blog conversou com ele na sexta-feira (17/7) sobre o suas ideias e visão da gestão pública. Na sua avaliação, o “eleitor mais conservador tende busca um candidato que seja honesto, franco e que não tente enganá-lo com promessas que fatalmente não cabem dentro do orçamento do município. Este cidadão sabe que não tem dinheiro para cumprir tantos compromissos”, avalia.

Qual é o caminho mais adequado para convencer este cidadão-eleitor? Marcelo acredita que a regra geral captada pelas pesquisas e estudiosos do comportamento eleitoral, mostra que os eleitores querem candidatos com passado limpo, vida familiar estruturada e mostre ser competente. “Todos os pré-candidatos a prefeito de Valparaiso, incluindo Pábio Mossoró preenchem requisitos exigidos pelo eleitor, mas são ‘os mesmos rostos’ de todas as campanhas eleitoral”, pontua Marcelo.

Sobre o momento crítico em que o país atravessa, consequentemente o município de Valparaíso onde existem óbitos e inúmeros infectados pela Covid-19, ele acredita que o Congresso será de suma importância em busca do equilíbrio dos gastos públicos, tornando a economia mais competitiva, para isto é essencial o reforço dos programas sociais do governo, mesmo sabendo que esta conta sairá caro para os contribuintes.

Cita como instrumento desenvolvimentista na alavancagem da economia em Valparaíso pós-pandemia, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). “Além disso, cabe ao gestor do município eleito em 15 de novembro, um plano emergencial que trabalhe as estimativas de receita nos limites da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Esta coerência administrativa vai contribuir para atender partes das demandas da sociedade, principalmente a parcela que mais necessita do poder público”. Ele frisa que o orçamento aprovado pela Câmara de Vereadores para 2021 é de R$ 555 milhões, mas é uma peça de ficção já que a pandemia destroçou qualquer perspectiva sobre otimismo na arrecadação de impostos para o próximo ano.

Marcelo pode ser ‘cristão novo’ na política e por isso mesmo, às vezes, peca por defender ideias que estão fora da ‘caixinha’ convencional das discurseiras criticando a gestão de Pábio Mossoró. Ele prefere mirar em outra direção onde se encontra uma grande parcela dos cidadãos valparaisense, ávidos para saber sobre o que virá no amanhã de 2021. Este cidadão anônimo, quase invisível para muitos pré-candidatos, carrega um forte sentimento contra a politicagem, corrupção, privilégios e os mesmos homens públicos de sempre. Este cidadão-eleitor sabe que dias difíceis se aproximam, mas se elegerem alguém que saiba conduzir o município nessa travessias do mar revolto pós-pandemia da Covid-19, o sacrifício não será em vão. De todos os concorrentes, o único fato novo na política do município, goste ou não, é Marcelo Sorriso.

Escreva um comentário