27 de julho de 2020
publicado às 11h26
Lêda Borges sinaliza que vai lutar com ‘unhas e dentes’ para conquistar a Prefeitura de Valparaíso
Deputada estadual por Goiás e ex-prefeita de Valparaíso, Lêda Borges ainda não disse que é pré-candidata a prefeita, mas emite sinais que vai entrar na disputa com força de uma leoa. Estrategicamente, ela espera o momento certo quando seus concorrentes perceberem que é hora de negociar para dar o ‘pulo da leoa’. (Reprodução: Facebook pessoal)

Deputada estadual por Goiás e ex-prefeita de Valparaíso, Lêda Borges ainda não disse que é pré-candidata a prefeita, mas emite sinais que vai entrar na disputa com força de uma leoa. Estrategicamente, ela espera o momento certo quando seus concorrentes perceberem que é hora de negociar para dar o ‘pulo da leoa’. (Reprodução: Facebook pessoal)

Por Wilson Silvestre – As constantes aparições da deputada estadual por Goiás e ex-prefeita de Valparaíso, Lêda Borges (PSDB) não deixam dúvidas: ela vai disputar a prefeitura com ‘unhas e dentes’. Não que seja do gosto dela entrar numa disputa sem contar com o favoritismo de outrora, quando o poder da máquina estadual, parte da população e um grupo unido ávido para trocar de mandatário estava ao seu lado.

Hoje, mesmo sendo uma ‘leoa’ caçadora de votos, inteligente e esperta, a ‘savana política’ em que ela caminha está órfã do poder público. Mas isto não é empecilho para ela e sim um estimulo motivador, afinal Lêda é um animal político que não faz outra coisa a não ser… política. O que realmente está em jogo é seu futuro como liderança. Ela sabe que no cenário em 2022 o PSDB não terá o protagonismo de outrora e seu sonho em conquistar uma cadeira na Câmara Federal está cada vez mais distante.

Para complicar seu caminho, Marconi Perillo precisa dela prefeita para barrar o avanço do deputado federal, Célio Silveira – por enquanto no PSDB – que rompeu com Lêda e é uma pedra no sapato de Marconi no Entorno de Brasília. Como se vê, os tucanos só contam com ela para segurar parte do legado de outrora.

Não precisa muito exercício político para identificar o roteiro de Lêda. Basta seguir as postagens da deputada e ouvir suas entrevistas em rádios para deduzir que seu foco crítico não é só de oposição. Ela concentra sua artilharia na gestão Pábio sem criticá-lo explicitamente, mas ressaltando seus feitos quando era a dona do pedaço. Por que ela não critica Pábio diretamente? Se fizer isso, confessa aos seus eleitores que os enganaram pedindo voto ao ex-pupilo. Simples assim.

Lêda concentra sua atuação no perfil do eleitorado que forma a base da pirâmide social, onde está a maioria dos votos. Esta massa ainda vê o prefeito Pábio Mossoró dando mais atenção à classe média emergente da cidade. Soma-se a esta percepção, os desafios do prefeito para administrar os conflitantes interesses econômicos e políticos provocados pela pandemia do coronavírus.

Esta ‘brecha’ política é onde a deputada quer desconstruir o favoritismo de Pábio à reeleição. Lêda também conta com o amadorismo dos pré-candidatos concorrentes a desbancar o prefeito de seu posto. Com poucas exceção, entre elas o ‘cristão novo’ Marcelo Sorriso (PSD), a maioria ainda não percebeu que o fundamentalismo em atribuir todas as mazelas que vive a população de Valparaíso ao prefeito, não atrai votos. Pelo contrário, afasta o cidadão-eleitor daqueles que só sabem criticar e falar mal de quem está no poder.

A população de um modo geral não é tola e ingênua como a maioria dos pré-candidatos a trata. Quanto mais ‘batem’ no Pábio, mais o eleitor se convence que os críticos são oportunistas e não é bom ficarem ao lado deles. Este tem sido o ‘pulo da leoa’ para conquistar corações que, em passado recente, ele amoleceu para eleger o prefeito, mas agora ela não pode dizer que errou ao pedir este voto. Se fizer isto passa a imagem de uma oportunista que quer o poder para ter mais poder.

Escreva um comentário