27 de setembro de 2020
publicado às 13h09
Em Jataí, o experiente Humberto Machado polariza com o novo e determinado Zé Carapô
Candidatos a prefeito de Jataí: experiente e bem avaliado Humberto Machado (MDB), o ‘novo’ e ousado Zé Carapô (DC) são protagonistas de uma mesma linhagem ideológica. Há pouco mais de dois meses Carapô era o aliado preferencial de Humberto, mas a demora em resolver entraves jurídico, afastou Carapô do antigo aliado. Coisas da política.

Candidatos a prefeito de Jataí: experiente e bem avaliado Humberto Machado (MDB), o ‘novo’ e ousado Zé Carapô (DC) são protagonistas de uma mesma linhagem ideológica. Há pouco mais de dois meses Carapô era o aliado preferencial de Humberto, mas a demora em resolver entraves jurídico, afastou Carapô do antigo aliado. Coisas da política.

Por Wilson Silvestre – A fragmentação política em Jataí provocada pelo voo solo do deputado estadual Zé Carapô (Democracia Cristã), dando um ‘chega prá lá’ na aliança com Humberto Machado (MDB) expos as vísceras da realpolitik que move os homens. Há dois meses aproximadamente, Carapô mirou o futuro e avaliou que Humberto corria risco em ficar fora da disputa pela prefeitura. Pressionado por seu grupo, mais precisamente os candidatos a vereadores, o deputado estadual não teve outra saída a não ser buscar o caminho do protagonismo, não mais como coadjuvante do MDB.

Esta decisão seria normal em se tratando de alternativas entre aliados, mas parodiando o slogan da Band News FM, dois minutos na política tudo pode mudar. De fato Humberto Machado conseguiu registrar a candidatura e Carapô, outrora aliado, tornou-se adversário a ser combatido. Rotulá-lo de traidor por querer seguir outro caminho, é no mínimo desconhecer a pluralidade de ideias em um processo democrático.

No embate político provocado por esta ruptura, o que não faltam são ‘guerrilheiros digitais’ esbravejando nos grupos de Whatsapp. Isto tira voto de Carapô? Talvez alguns, no entanto nunca é demais lembrar que o eleitorado de Jataí é muito politizado, sabe distinguir ideias, experiência e maturidade ao escolher seus representantes, tanto a prefeito quanto vereador. “Ah, Silvestre, não é bem assim. Olha o que deu votar em Vinicius Luz” pode indagar um atento observador. Respondo que uma sociedade moderna, progressista e empreendedora como a de Jataí, também busca o ponto fora da curva.

É justamente neste ponto que a gestão de Humberto Machado foi resgatada no inconsciente de massa, por isso ele conta com a preferência do cidadão-eleitor. É favorito, mas se Carapô conseguir ‘herdar’ o espólio de Vinicius Luz (PP), pode ameaçar esta liderança. Aqui cabe a pergunta de $ 1 milhão de dólares: Carapô terá fôlego para ‘desconstruir’ a imagem de bom gestor do oponente Humberto Machado? Afinal, poucas vezes Jataí experimentou um desenvolvimento tão crescente como na gestão do ex-prefeito.

Ele soube equilibrar o crescimento populacional com políticas públicas voltadas à geração de empregos e renda. Contribuiu para transformar uma sociedade predominantemente classe média rural para uma moderna classe média urbana. Esta combinação resultou na ampliação de empregos e renda nos setores de serviços. Aumentou a arrecadação e transformou a cidade em um canteiro de obras. O comércio expandiu, novos negócios surgiram, ampliou a oferta no ensino superior e melhorou o IDH no ensino básico. “Bom Silvestre, os tempos eram outros” dirá os menos, digamos, ‘humbertistas’. Cada época tem seus desafios e o Brasil sempre viveu com soluços: momentos bons alternador por ruins.

Infelizmente Vinicius Luz não soube conquistar esta classe média urbana, crítica e atenta à política. Perdeu o carro da história preferindo tentar agradar a todos os segmentos. No final do mandato, sem apoio da população, amargando popularidade baixa e sem coragem para bater à porta do cidadão-eleitor para pedir mais quatro anos no poder, desistiu. Foi este vazio de poder que Carapô montou no cavalo arriado em sua porta. Lembre-se: há dois meses Humberto estava à beira do precipício da inegilibilidade, situação que motivou Carapô a se ‘descolar’ do MDB.

Luciano Lima (PSD) tenta construir uma via alternativa para ‘quebrar’ a polarização Humberto Machado X Zé Carapô. Ele é tido como uma das principais revelações políticas do Sudoeste, feito atestado pelos 17.600 votos para deputado federal em 2018 somente em Jataí.

Luciano Lima (PSD) tenta construir uma via alternativa para ‘quebrar’ a polarização Humberto Machado X Zé Carapô. Ele é tido como uma das principais revelações políticas do Sudoeste, feito atestado pelos 17.600 votos para deputado federal em 2018 somente em Jataí.

O embate de ideias entre o novo, ousado e determinado a vencer os desafios imposto à gestão pública pós Covid 19 personificado por Zé Carapô contra o experiente, também ousado e bem avaliado pela sociedade jataiense, Humberto Machado honra a tradição de Jataí em ter bons líderes políticos. Claro que estre os dois existem outros concorrentes potencialmente com chances, principalmente Luciano Lima (PSD). Ele tem um discurso menos beligerante, mais propositivo, centrado nos desafios que sinaliza ‘comer pelas beiradas’, construindo uma via alternativa. Haverá tempo para tocar mentes e corações dos jataienses que buscam outro candidato? É provável, mas só pelo fato de permanecer no jogo já o transforma em um player político.

Escreva um comentário