Ministério Público no DF sobre suposto tráfico de influência

0

Segundo assessoria do ex-presidente, Lula foi ao MP voluntariamente.
Inquérito apura se ele favoreceu empresa privada em negociações.

Foto: Estadão Conteúdo
Foto: Estadão Conteúdo

 

Material Do G1, em Brasília. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu depoimento ao Ministério Público Federal no Distrito Federal de 11h00 às 13h30 nesta quinta-feira (15) em inquérito que apura suposto tráfico de influência. Ele prestou o depoimento voluntariamente, de acordo com o MPF-DF.

O alvo das investigações são viagens internacionais feitas por Lula que teriam sido bancadas pela Odebrecht. Entre os países visitados pelo ex-presidente com patrocínio da maior construtora brasileira estão Cuba, República Dominicana, Gana e Angola.

Em reportagem publicada em maio, a revista “Época” revelou documentos que mostram que o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) fechou o financiamento de, ao menos, US$ 1,6 bilhão com destino final à Odebrecht após Lula, já como ex-presidente, se encontrar com os presidentes de Gana e da República Dominicana – sempre bancado pela empreiteira.

De acordo com o instituto, no depoimento desta quinta Lula respondeu as perguntas e argumentou que os presidentes e ex-presidentes do mundo inteiro defendem as empresas de seus países no exterior.

Sem interferência no BNDES
A assessoria do ex-presidente disse também que ele ressaltou “jamais ter interferido” em qualquer contrato celebrado entre o BNDES e empresas privadas.

O depoimento de Lula foi dado ao procurador Ivan Cláudio Marx, que assumiu a investigação sobre o ex-presidente no início deste mês.

Ele substituiu outras duas procuradoras que deixaram o caso neste ano por licença maternidade e transferência dentro do Ministério Público Federal.

O MPF-DF não informou detalhes sobre como foi o depoimento, mas confirmou que Lula foi ao órgão espontaneamente, sem ter sido intimado.

Segredo de Justiça
A investigação sobre suposto tráfico de influência do ex-presidente tramita em segredo de Justiça. Desde o início das apurações, o MPF já solicitou informações a vários órgãos, incluindo a Odebrecht, o BNDES, a Infraero, o Itamaraty e o próprio Instituto Lula.

Em julho, os investigadores pediram também compartilhamento das provas já colhidas naOperação Lava Jato, sob comando do juiz Sergio Moro, da Justiça Federal em Curitiba.

Lula não está entre os políticos que são investigados em inquéritos na Lava Jato.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN