Lava Jato/Delator apresentou lista de obras de arte

0

Por Matheus Leitão (G1) O ex-diretor da empresa italiana Saipem João Antônio Bernardi Filho, novo delator da Lava Jato liberado para cumprir pena em casa nesta segunda-feira (26), apresentou uma lista de obras de arte que investiu a partir de 2012 após conversar com o ex-diretor de serviços da Petrobras Renato Duque.

Segundo Bernardi, as “obras eram compradas em leilões e vendidas em galerias por um preço maior” após negócios prospectados por sua empresa, a Hayley do Brasil, inicialmente criada para o mercado de imóveis. As obras eram compradas para lavar dinheiro de propina desviado da estatal, segundo apurou o Blog. Dos quadros, 14 foram apreendidas em uma galeria.

Lista das obras de arte apreendidas
Lista das obras de arte apreendidas

A lista inclui um Volpi (R$ 399 mil), um Alberto Guignard (R$ 150 mil), um Jose Antonio da Silva (R$ 17 mil), um Di Cavalcanti (R$ 25 mil), um Jorge Guinle (R$ 1 mil), um Manabu Mabe (R$ 58 mil), um Adriana Varejão (R$ 32 mil), um Flavio Shiró (R$ 15,5 mil), um João Paulo Moreira da Fonseca (R$ 4 mil), um Claudio Tozzi (R$ 18 mil), Jose Antonio da Silva (R$ 16,5 mil), outro Guignard (R$ 12,6 mil), um Cicero Dias (R$ 91 mil) e um Marco Velasquez (R$ 4 mil). O paisagem mineira de Guignard, por exemplo, foi comprado por R$ 150 mil, mas depois avaliado em U$ 300 mil.

Somadas, as obras valem mais de R$ 840 mil. Bernardi foi preso durante a 14ª fase da Lava Jato, quando os alvos foram as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez. Ele estava detido na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, mas foi solto após o acordo negociado pelo advogado Marlus Arns. O novo delator responde na Justiça por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.

Como ex-funcionário da Odebrecht, Bernardi foi vinculado pela Lava Jato como suspeito de pagar propina a Duque por meio da Hayley do Brasil. Na delação, Bernardi informa que chegou a comprar outros quatro quadros para Duque, mas sem “relação com propina”. A empreiteira nega qualquer vinculação com o Bernardi ou com a Hayley.

Duque, que também iniciou negociação para aderir ao instituto de delação premiada, já havia sido acusadode receber um quadro de Guignard como pagamento por participação no esquema de corrupção investigado na estatal do petróleo, conforme mostrou o Blog.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN