Fórum de governadores/ O “fundão” do país mostra sua força e tem propostas para o Brasil

0

A chamada grande mídia não deu destaque para o Fórum de Governadores do Brasil Central e Norte, composto por Goiás, Tocantins, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, realizado na terça-feira (10) e encerrado na quarta (11), em Brasília. Os seis governadores elegeram Marconi Perillo (PSDB), de Goiás, como seu primeiro presidente.

Governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) eleito presidente do Fórum de Governadores Brasil Centro-Norte: “Desejo ver esse movimento consolidado e como referencial para o País” (Vagnas Cabral\Palácio das Esmeraldas)
Governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) eleito presidente do Fórum de Governadores Brasil Centro-Norte: “Desejo ver esse movimento consolidado e como referencial para o País” (Wagnas Cabral\Palácio das Esmeraldas)

Desde em 1938, em pleno Estado Novo comandado por Getúlio Vargas, que as regiões Centro-Oeste e Norte sofrem com o preconceito dos estados das regiões sul-sudeste. Até hoje a maioria dos cidadãos destes estados não perdoam a construção da Ferrovia Norte-Sul. Graças aos esforços políticos de governadores, empresários e o avanço da fronteira agrícola, estas barreiras estão caindo.

Dentre os governadores que mais tem se destacado nesta integração brasileira, o governador de Goiás Marconi Perillo de se destaca. Ele marcaEm suas andanças pelo país, sempre ressalta a importância destas regiões como forças emergentes do crescimento econômico e social do país. Seu discurso tem sido inspirado nas lutas de lideranças do passado para a verdadeira integração do Brasil. Ao contrário dos políticos tradicionais que buscam no passado ideias para viverem o presente, Marconi faz o contrário: inova.

Após mais de três horas de reunião restrita dos governantes, o anfitrião do encontro, governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg (PSB) dizer que  “com a anuência dos demais governadores, sugiro o nome do governador de Goiás, Marconi Perillo, para ser consagrado o primeiro presidente do consórcio”.Governadores do Centro-Norte elege Marconi

Rollemberg ressaltou que Marconi tem as qualificações necessárias para ser um presidente atuante e realizador, a exemplo do que tem feito em Goiás em suas quatro gestões. “É um homem público jovem, demonstra enorme capacidade de união e agrega muito com esta indicação. Todos nós nos sentimos confortáveis com essa escolha”, salientou.

Ao ser eleito primeiro presidente do Fórum de Governadores Brasil Centro-Norte, ele ressaltou o desejo de que estas regiões sejam parte da solução para sairmos da crise. “Desejo ver esse movimento consolidado e como referencial para o País; que dará uma contribuição ainda maior para uma boa agenda de gestão e de desenvolvimento, de competitividade, de produtividade, inovação e principalmente para uma agenda de conciliação e de cooperação”, disse.

Mostrou que não se trata de um movimento isolado, mas uma contribuição e uma oportunidade para buscar outras ideias exitosas nos demais estados. “Estamos todos imbuídos do mesmo propósito. A cada momento um de nós busca uma experiência bem sucedida em outros estados. Estou certo que este nosso quinto encontro dará uma coloração definitiva a esse movimento”.

A escolha do presidente, cujo mandato será de um ano, ocorreu depois que as Assembleias Legislativas de todos os estados aprovaram projeto que os oficializa como integrantes do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central, bloco criado durante o Fórum de Goiânia. A lei reúne uma série de ações para fomentar o crescimento dos estados envolvidos.

MAIS COMPETITIVIDADE – A cooperação entre os governadores visa aumentar a competitividade dos estados e do DF em importantes setores da economia. Na agricultura, a ideia é ampliar a produção por meio do fortalecimento de assessorias técnicas no campo.

Compartilhar experiências para qualificar o ensino básico nas seis unidades federativas também faz parte do projeto, bem como estimular o empreendedorismo na região.

De acordo com dados levantados pelas secretarias de Planejamento dos estados e do DF, a parceria pode trazer benefícios para cerca de 20 milhões de moradores das unidades da Federação que compõem o Brasil Central – o equivalente a 9,16% da população brasileira. Atualmente, 9,02% dos postos de trabalho criados pelas micro e pequenas empresas nacionais estão concentradas no bloco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN