Manifestantes pedem impeachment de Dilma em protesto na Esplanada

0

Eles também pedem o fim da corrupção no país e a intervenção militar.
Polícia Militar estima que 2 mil pessoas participam do ato em Brasília

Protesto pede o impeachment da presidente em frente ao Congresso (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
Protesto pede o impeachment da presidente em frente ao Congresso (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Por Jéssica Nascimento e Gabriel Luiz/Do G1 DF – Manifestantes contra o governo da presidente Dilma Rousseff ocuparam a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, na manhã deste domingo (15) – data em que é celebrada a Proclamação da República. Eles pediram o impeachment da presidente, o fim da corrupção no Brasil e a intervenção militar.

O protestou começou às 8h. De acordo com a Polícia Militar, no início da manifestação, 500 pessoas participavam do ato. Às 11h, a polícia estimava a participação de 2 mil pessoas. Um manifestante foi preso durante o ato por uso e porte de maconha, informou a corporação. Ele foi encaminhado à 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte.

Durante a manifestação, policiais fizeram barreiras pra revistar mochilas, bolsas e bolsos dos manifestantes. Além do Eixão, as vias S1 e N1 ficaram fechadas na altura da Rodoviária do Plano Piloto. O trânsito de veículos estava autorizado na N2 e na S2.

Manifestantes ocuparam o gramado em frente ao Congresso Nacional, na Esplanada dos Ministérios (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
Manifestantes ocuparam o gramado em frente ao Congresso Nacional, na Esplanada dos Ministérios (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Vestidos de verde amarelo, os manifestantes levaram cartazes e faixas, além de um boneco do ex-presidente Lula vestido de presidiário sendo enforcado e caixões simulando um enterro da presidente Dilma e de Lula.

Manifestantes colocaram caixões simulando um enterro da presidente Dilma e do ex-presidente Lula em frente ao Congresso Nacional (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
Manifestantes colocaram caixões simulando um enterro da presidente Dilma e do ex-presidente Lula em frente ao Congresso Nacional (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

O técnico em informática José Carlos Pereira, de 50 anos, disse que foi protestar pelo quarto ano contra a corrupção. Ele pede a retirada do PT do poder. “O DF precisa de segurança e educação. Um estudante do Ensino Médio não conseguem resolver uma tabuada. A saúde é precária e não existe. É melhor procurar o IML [Insitituto Médico Legal] do que um hospital público”, reclamou.

A empresária Tainá de Fátima da Silva, de 20 anos, levou os dois cachorros da raça shitszu para protestar contra a presidente Dilma. “Tem que melhorar tudo. Não votei nela e não conheço ninguém que votou. Com certeza essa eleição foi duvidosa. No nosso país só tem políticos ladrões e eles devem ser retirados imediatamente do poder”, afirmou.

Tainá levou os dois cachorros para protestar contra a presidente Dilma (Foto: Jéssica Nascimento/G1 )
Tainá levou os dois cachorros para protestar contra a presidente Dilma (Foto: Jéssica Nascimento/G1 )

Vestido de Batman, Eron Morais, de 34 anos, disse que viajou do Rio de Janeiro a Brasília para pedir melhorias para o Brasil. Ele disse que terá de chamar “a Liga da Justiça para dar um jeito no país”.

“Desde 2013 me visto de Batman e vou nas manifestações. Não queria ser mais um na multidão. Queria ser ouvido, entende? Do jeito que o Brasil está, terei que acionar todos os super heróis para limpar a presidência e a Câmara dos Deputados”, brincou.

Vestido de Batman, manifestante disse que terá de chamar a Liga da Justiça "para dar um jeito no país" (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
Vestido de Batman, manifestante disse que terá de chamar a Liga da Justiça “para dar um jeito no país” (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Uma mulher que não quis se identificar chegou a chorar, no meio da manifestação, depois de ser impedida por policiais, segundo ela, de entrar no prédio do Congresso Nacional.

Spray de pimenta
Por volta das 13h, manifestantes invadiram o espelho d’água do Congresso Nacional e foram seguidos pela polícia.

Em seguida, policiais usaram spray de pimenta para evitar que mais pessoas furassem o bloqueio policial e se aproximassem do prédio do Congresso pelo espelho d’água.

Polícia usa spray de pimenta para conter manifestantes que tentaram invadir o espelho d'água do Congresso Nacional (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
Polícia usa spray de pimenta para conter manifestantes que tentaram invadir o espelho d’água do Congresso Nacional (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Acampamento
Segundo organizadores, cerca de mil pessoas estão acampadas em frente ao Congresso Nacional. O representante do movimento “Resistente Popular”, Mauricio Gabare, diz que o grupo ocupará o espaço por tempo indeterminado. Segundo o homem, eles querem um Natal sem a presidente Dilma.

“Cerca de 93% dos brasileiros rejeitam o governo do PT. O partido fez com que os brasileiros tivessem vergonha do país, que está um caos. Cada dinheiro desviado pela corrupção tira uma porcentagem da educação, segurança e saúde no país. Infelizmente, chegamos ao fim do poço”, afirmou.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN