Improbidade administrativa pode tirar Geraldo Messias da disputa eleitoral

0
Ex-prefeito de Águas Lindas, Geraldo Messias (PP) tem bens bloqueados pela Justiça de Brasília
Ex-prefeito de Águas Lindas, Geraldo Messias (PP) tem bens bloqueados pela Justiça de Brasília

A situação jurídica do ex-prefeito de Águas Lindas, Geraldo Messias (PP) não tem dado trégua à sua pretensão de candidatar-se novamente a prefeito. No caminho do sonho, muitas pedras em forma de ações por improbidade administrativa em sua gestão. Mesmo protelando via tribunais superiores, o pêndulo da Justiça pode surpreendê-lo na reta final como aconteceu com o candidato a prefeito de Santo Antônio do Descoberto, Padre Getúlio Alencar: ganhou mais não levou e o segundo colocado foi diplomado pelo TRE.

Agora, no dia 3 de dezembro, Geraldo Messias juntamente com o ex-governador José Roberto Arruda e o ex-secretário de Saúde, Augusto de Carvalho foram acionados pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) numa ação civil para apuração de atos de improbidade.

A encrenca teve origem em abril de 2009, quando Messias celebrou dois convênios com o Governo do DF para reforma e a ampliação do Hospital Municipal Bom Jesus, no valor de R$ 500 mil a serem pagos pelo Distrito Federal e R$ 15 mil a serem pagos pelo município. O segundo convênio era para a capacitação de pessoal, contratação de serviços, aquisição de material de consumo, equipamentos e material permanente, necessários ao atendimento no referido hospital no valor de R$ 12 milhões a serem custeados pelo DF e R$ 360 mil a serem pagos também pelo município, a chamada contrapartida.

O juiz da 8ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal recebeu a ação ajuizada pelo MPDFT e determinou a citação dos réus, bem como o bloqueio de seus bens.

Em 2014, a promotora de Justiça de Águas Lindas, Tânia d’Able  propôs ação de improbidade administrativa contra Messias e outros sete envolvidos na doação de 136 áreas públicas que pertenciam ao patrimônio municipal. Os terrenos foram transferidos ilegalmente para particulares entre 2009 e 2012, durante a gestão de Messias. (Com assessorias do MPDFT e MPGO)

Num passado recente, Águas Lindas não saia do noticiário negativo por conta de escândalos de corrupção, gestão temerária e afastamento de prefeitos. Na gestão de Hildo do Candango nunca mais se ouviu falar em ato de improbidade administrativa ou revolta da população contra seus gestores. Mesmo não conseguindo resolver todos os problemas do município por conta da crise econômica, Hildo tem avançado muito no resgate da autoestima da população, na geração de empregos, educação, infraestrutura e qualidade de vida.

Por isso, os cidadãos de Águas Lindas não querem o passado de volta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN