Sem medo de cara feia, José Eliton assume segurança pública e dá mais um passo rumo a 2018

0
Vice-governador de Goiás e Secretário de Segurança Pública, José Eliton: em cada missão que recebe, conquista vitórias que pavimentam o caminho rumo a 2018. A mais difícil agora é o resgate da confiança dos goianos na segurança pública
Vice-governador de Goiás e Secretário de Segurança Pública, José Eliton: em cada missão que recebe, conquista vitórias que pavimentam o caminho rumo a 2018. A mais difícil agora é o resgate da confiança dos goianos na segurança pública

Mestre em superar desafios nas mais intrincadas tarefas, o vice-governador  e agora Secretário de Segurança Pública, José Eliton  tem à frente uma espinhosa missão: resgatar a confiança dos goianos na segurança pública.

Ao assumir na semana passa a Secretaria de Segurança Pública diante de uma crise aguda de violência na Grande Goiânia, José Eliton (PSDB) mostrou que deseja chegar em 2018 como gestor capaz de solucionar problemas graves e sem depender excessivamente do capital político do governador Marconi Perillo.

Nos últimos anos, Eliton avançou dentro da estrutura da base aliada e deixou de ser um mero coadjuvante na vice-governadoria. Filiou-se ao PSDB (partido de Marconi), se aproximou de prefeitos, lideranças do interior e se tornou articulador de programas, como o Inova Goiás. Mas, o passo mais ousado e também o mais arriscado foi aceitar comandar a Segurança.

À frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Eliton surfava em números positivos e recordes da balança comercial. No entanto, chegar em 2018 com a marca de ser o homem que resolveu os problemas graves da segurança tem mais peso político. O risco é grande porque se fracassar na secretaria, Eliton chegará desgastado na disputa sucessória.

O vice-governador sinaliza que Marconi garantiu recursos para investir na área, além do respaldo político. “Quem tem medo não merece estar na administração pública”, disse Eliton. Marconi já chancela o vice desde o ano passado e faz questão de dizer José Eliton é o candidato da base para 2018.

Os possíveis rivais atualmente apostam no discurso do “novo”. O deputado federal Daniel Vilela apareceu nas mais recentes pílulas do PMDB se apresentando como a novidade capaz de resolver as crises atuais e arrumar a casa em Goiás. O espírito jovem de Daniel, no entanto, é arranhado pelos vícios do PMDB. O partido ainda é dominado pela figura de Iris Rezende e a duras penas tanta se renovar.

Na recente eleição para ao diretório houve briga na sede do partido em Goiânia e o segurança do deputado Paulo Cezar Martins disparou um tiro. A renovação peemedebista ainda caminha lentamente; tanto que o candidato a prefeito de Goiânia deve mesmo ser Iris Rezende.

O senador Ronaldo Caiado também possui seus desgastes naturais. Há mais de 20 anos como parlamentar em Brasília, Caiado muitas vezes é acusado de não ter conquistado grandes feitos para Goiás. Nos últimos anos, Caiado vem apostando todas suas fichas num discurso radical e oposição raivosa ao governo estadual. Outro entrave para Caiado é a fragilidade do DEM. O partido hoje em Goiás se resume à figura do senador e está à beira da extinção. (Por Goiás 247)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN