Exercício de combate ao terrorismo nas Olimpíadas é realizado em Goiânia

0

Quase 300 integrantes das Forças Armadas e da Segurança Pública de vários
estados atuam juntos em oficinas que simulam cenários de atentados

Profissionais que atuarão nos Jogos fazem exercício em conjunto, em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)
Profissionais que atuarão nos Jogos fazem exercício em conjunto, em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)

Por Paula Resende/Goiânia – A menos de três meses dos Jogos Olímpicos, 280 integrantes das Forças Armadas e da Segurança Pública de vários estados iniciam nesta terça-feira (10) uma atividade em conjunto contra o terrorismo, em Goiânia. As oficinas simulam cenários de possíveis atentados para explorar táticas e técnicas de procedimentos.

– É nada mais do que trabalhar em conjunto e, assim, possibilitar a integração do planejamento. Esse é nosso grande objetivo, obter sinergia de todas as capacidades de enfrentamento ao terrorismo que temos no Brasil no dia de hoje, sejam elas em forças armadas ou órgãos de segurança pública – declarou o comandante do Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo, general Mauro Sinotti.

Pista de tiros é uma das oficinas realizadas durante o exercício de enfrentamento ao terrorismo, em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)
Pista de tiros é uma das oficinas realizadas durante o exercício de enfrentamento ao terrorismo, em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)

Denominado Exercício Conjunto Interagências de Enfrentamento ao Terrorismo, o procedimento termina na próxima sexta-feira (13). Além de militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, participam integrantes da Força Nacional de Segurança Pública, da Polícia Federal e das policias Civil e Militar do Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal.

Integrante da Companhia de Operações Especiais de São Paulo, o capitão José Luiz Gonçalves explicou sobre um dos treinamentos, que foi realizado em uma pista de tiros.

– Aqui testamos a capacidade operacional do operador [policial]. Ele faz uma progressão usando tiros de pistolas, de fuzil, em várias posições. É uma pista dinâmica, alvejando alvos e ameaças que apareçam durante o trajeto – explicou.

Dupla faz atividade contra o terrorismo em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)
Dupla faz atividade contra o terrorismo em Goiânia (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)

País preparado para o terrorismo
O comandante do CCPCT afirma que o país se prepara há anos para combater o terrorismo. As atividades foram intensificadas desde a Copa das Confederações, em 2013. Sinotti ressalta que o país tem material de alta tecnologia compatível ao usado pelos exércitos mais avançados do mundo.

– Temos uma capacidade muito boa de defesa química, biológica, radiológica e nuclear. Armamento de alta tecnologia para tiros muito precisos e investimentos razoáveis em materiais de comunicação digitalizada – enumerou.

O general garante que o país está preparado para a segurança das Olimpíadas e nos Jogos Paralímpicos.

– Estamos preparados para os dois momentos importantes. Estamos realizando um trabalho preventivo com apoio de inteligência do sistema brasileiro de inteligência, cujo órgão central é a Abin, que nos provem toda a inteligência necessária para o trabalho preventivo, ou seja, estamos atentos a qualquer ameaça que venha ocorrer no sentido de fazer trabalho preventivo. Mas, se algum evento ocorrer, também estaremos preparados para dar a resposta necessária – defendeu Sinotti.

Equipamentos usados nos treinamentos para simular conflitos (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)
Equipamentos usados nos treinamentos para simular conflitos (Foto: Paula Resende/ GloboEsporte.com)

A ação é acompanhada por representantes das forças militares de 24 países. De acordo com o Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro (Copesp), a presença visa dar uma noção do que está sendo preparado para os Jogos e, de certa forma, tranquilizar a população destas nações.

Em 13 de junho, as tropas partem para o Rio de Janeiro, onde ficam até setembro. Elas vão atuar nos 42 campeonatos das Olimpíadas e nos 23 das Paralimpíadas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN