Muita gente em Formosa cobra de Roller promessa feita na campanha para deputado

0
Deputado estadual, Ernesto Roller (PMDB): quebra da promessa em defender os interesses de Formosa no legislativo estadual (Portal Pauta Goiás)
Deputado estadual, Ernesto Roller (PMDB): quebra da promessa em defender os interesses de Formosa no legislativo estadual (Portal Pauta Goiás)

Por Wilson Silvestre – Crítico ferrenho do governo Marconi Perillo, o deputado estadual Ernesto Roller (PMDB) está tentado enfrentar a disputa pela Prefeitura de Formosa. Seus partidários avaliam que “este é o momento” por dois motivos: o partido está surfando na onda Michel Temer e as pesquisas sinalizam que Ernesto tem chances de desbancar o prefeito Itamar Barreto (PSD). Até ai, esta pretensão é mais do que normal e legítima no jogo democrático. O problema é que tem gente que votou em Roller para deputado estadual, cobrando a promessa dele durante a campanha de que “seria o representante de Formosa na Assembleia Legislativa de Goiás”. Agora, quase dois anos após eleito, a prosa mudou. Ele pede ao eleitor aval para se eleger prefeito.

Considerando a situação econômica em que passa o país, estados e os 5.570 municípios brasileiros, qualquer promessa afiançando que “vamos fazer isso e aquilo” e dizendo que o adversário nada fez, não passa de enganação. Sendo eleito, nenhum prefeito terá dinheiro para realizar uma gestão melhor do que os atuais mandatários. A razão é simples: não existem recursos, nem estadual ou federal para bancar qualquer projeto demandados pela população que envolva grandes somas. Será o mais do mesmo, com uma agravante: muitas obras iniciadas pelo antecessor sofrerão cortes nos recursos ou terão sua continuidade paralisada.

Em Formosa – caso Roller seja eleito –, as prioridades serão básicas. Manutenção de limpeza, corrida em busca de parcerias federal e estadual, arrocho nos salários, cortes orçamentários e por ai vai. Nada, mas nada mesmo do que o prefeito Itamar Barreto (PSD) tem feito. Não existem milagres na gestão pública. Por mais criativo que seja o prefeito, governador e presidente as demandas da sociedade serão infinitamente maiores do que os recursos disponíveis. Os críticos de plantão batem bumba dizendo que se trata de gestão. Em muitos casos pode ser verdade, mas em se tratando do município de Formosa, não tem milagre e super gestor que dê jeito para estacar a sangria do caixa da prefeitura. A dívida da prefeitura herdada por Itamar é de R$ 100 milhões. Administrar um passivo desses e ainda atender bem a população precisa ser mais do que um gestor, tem que ser “o senhor administrador”.

Muitos dos compromissos feitos na campanha de Itamar foram barrados pela lei da aritmética. Ao tomar ciência do tamanho do rombo contábil e fiscal da prefeitura, a primeira providência foi comunicar à população que a situação era dramática e que dias difíceis viriam. Poucos gestores tem essa coragem, mas Itamar teve e enfrenta o desafio vencendo etapas.

Nenhum homem público deixa de atender 100% reivindicações da população como asfalto em bairros, escolas, estradas, transportes, segurança, geração de empregos, reposição salarial de servidores entre tantas outras, simplesmente porque é mal gestor. Existem regras na administração pública que a maioria da população desconhece. Tudo é extremamente fiscalizado pelo Ministério Público, tribunais de contas, ONGs, imprensa, legislativo e o cidadão. Soma-se a este conjunto enfrentado pela administração pública, a falta de recursos, o mais cruel dos fiscalizadores. Sem dinheiro não há como investir e com o país praticamente em recessão, os tributos também diminuem drasticamente.

Esta é a lógica que eleitores que votaram em Ernesto Roller questionam. Formosa precisa de um deputado “brigando” pelo município e região e Roller tem cumprido este papel com louvor. Seus eleitores temem que, se vencer a disputa Formosa perde essa voz e, consequentemente, sua importância política por não ter ninguém defendendo os interesses dos 110 mil habitantes no parlamento goiano. Os cidadãos mais conscientes sabem que o município vem perdendo prestígio político gradativamente.

Ninguém arrisca um palpite de quanto tempo vai durar a crise política e econômica no país, por isso a preocupação em ter um representante no legislativo estadual, mesmo sendo oposição ao governador. Ernesto não é um político atrasado dos que defendem o “quanto pior melhor”. Tem feito uma oposição dura, mas republicana ao governador Marconi Perillo. Na avaliação de pessoas ouvidas pelo blog, sua desistência do legislativo, deixa uma lacuna na defesa dos interesses dos cidadãos de formosa junto ao governo de Goiás.

Quanto ao prefeito Itamar, sua angústia está centrada na busca de recursos para resgatar compromissos assumidos com os cidadãos. De acordo com ele, mesmo diante da escassez tem realizado obras importantes, principalmente no resgate da cidadania e em saúde. “Hoje somos uma referência na região na saúde. Enquanto em Brasília a situação é complicada, aqui em Formosa conseguimos com recursos próprios, melhorar consideravelmente o atendimento”. Disse ao blog na quarta-feira (25). Sobre o futuro político, garantiu mais uma vez que é pré-candidato a reeleição e repetiu o que tem dito nos seus discursos: “Fizemos muito com poucos recursos, mas estamos correndo para atender ao máximo as reivindicações da população. Esta é nossa prioridade neste momento”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN