CRISTALINA] João Fachinello a um passo do rompimento com o prefeito Attié

0
Prefeito Luiz Attié e o vice João Fachinello: outrora parceiros de campanha e aliados políticos. Hoje, à beira de um rompimento abarrotado de mágoas. (Foto divulgação da campanha politica de 2012)
Prefeito Luiz Attié e o vice João Fachinello: outrora parceiros de campanha e aliados políticos. Hoje, à beira de um rompimento abarrotado de mágoas. (Foto divulgação da campanha politica de 2012)

Por Wilson Silvestre – Os 33.035 eleitores do município de Cristalina (dados atualizados do TRE) aptos a escolherem o prefeito e vereadores na próxima eleição, vão compartilhar muitas emoções na base do prefeito Luiz Attié (PSD). Embora ele não seja candidato, exerce influência com mão de ferro para ungir o sucessor. A princípio, seria o vice João Fachinello (PSDB), mas na hora da festa de unção como pré-candidato, Attié apagou a luz alegando que recebeu um comunicado das pesquisas dizendo que o “povo rejeita o João”. Sem festa e sem o esperado apoio, só restou a Fachinello assistir como espectador o padrinho buscar um novo iluminado que atende pelo nome de Marks Wilson Louzada.

Este personagem, ainda desconhecido da maioria dos eleitores é a jogada estratégica do ‘marqueteiro Attié’. O Secretário de Saúde do município é tido como “gente boa, simpático e de sorriso fácil”, mas ‘estrangeiro’ para a maioria da população que busca o ‘novo’, mas que não seja paraquedista na cidade.

Para Attié, isso tem pouca relevância já que ele aposta no contraponto ao líder das pesquisas, Daniel do Sindicato (PSB). A leitura é esta: se o Daniel é jovem, sem rejeição, livre de processos na justiça e identificado pela base do prefeito como ‘candidato dos poderosos’, o ‘Marks é do povo’ e tem mais chances de rivalizar com Daniel do que o João. Para usar um lugar comum: simples assim.

Até ai, tudo normal e dentro das regras democráticas, mas precisa combinar com os russos, ou seja, sua excelência, o eleitor. Como desconstruir um líder que mais parece um teflon: nada gruda nele, enquanto na base do prefeito o que mais tem é gente com um passivo jurídico na altura do queixo. Essa deve ser a angustia que martela a cabeça de Attié: ter alguém de sua confiança com chances de vencer a eleição e ao mesmo tempo, defender o seu legado administrativo e político. Tarefa ingrata e com paladar indigesto por conta da personalidade contraditória do prefeito.

Ao longo dos mais de 500 dias à frente da prefeitura, Attié colecionou mais desconfiança do que confiança. E, esta eleição e as próximas, a palavra confiança terá mais força do que as bravatas, ‘fui eu que fiz, irei fazer e vou resgatar isso e aquilo’. O candidato que passar confiança ao eleitor será eleito. O tempo das promessas acabou. Ninguém acredita mais em político que anuncia apenas sonhos ao invés de fazer com que as pessoas sonhem com uma oportunidade de mudanças e transformações.

Este talvez seja o pecado maior de Attié, mesmo não sendo candidato, seu futuro politico passa por Cristalina. Pelo rumo que sua estratégia aponta, terá poucas chances em virar secretário no governo Marconi Perillo no pós prefeitura ou candidatar-se a uma vaga de deputado federal em 2018. Ele vai encontrar muita gente com a faca nos dentes e um deles, caso confirme os rumores, será João Fachinello. O vice é um rio de mágoas, não por ter sido preterido, mas pela forma que está sendo expurgado. Mesmo que os argumentos seja a rejeição de Fachinello junto aos eleitores, a fórmula do ‘marqueteiro Attié’ em conspirar a favor de Marks, melindrou e muito o grupo do João. Não adianta dizer que o vice é ‘muito pesado para carregar’ e que também tem uma grande parcela de culpa por não crescer nas pesquisas. O ‘não’ ao sonho de João matou as chances de qualquer reconciliação. O distinto eleitor não perdoaria.

Nos próximos lances, os cidadãos de Cristalina serão brindados com novas emoções. Pelo lado de Attié os bastidores estão fervendo. A convecção do PSD que seria realizada no sábado (28), foi adiada a pedido de Marks para o dia 4 de junho. Esse é o preço que Luiz Attié está pagando por ter sido mais prefeito e menos líder. Quando estiver fora do poder, vai nascer capim na porta. Solidão total.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN