ALEXÂNIA] Ronaldo Queiroz desiste da reeleição mas avisa que não “deixa de fazer política”

0
Prefeito de Alexânia, Ronaldo Queiroz: decepção com o momento politico e a crise econômica desmotiva sua reeleição
Prefeito de Alexânia, Ronaldo Queiroz: decepção com o momento politico e a crise econômica desmotiva sua reeleição

Por Wilson Silvestre – A crise política e econômica que abateu o Brasil da era PT afundou de vez o barco dos 5.570 municípios brasileiros. A situação tomou uma dimensão tão crítica, que muitos prefeitos desistiram da reeleição. Não conseguiram viabilizar projetos assumidos em seus programas de governo e atender, como haviam se comprometidos junto aos cidadãos, demandas importantes, como na área de infraestrutura, saúde e segurança.

Em Goiás, prefeitos como os de Formosa, Itamar Barreto (PSD), um homem integro e que teve sua trajetória política sempre a serviço do município, jogou a toalha na quarta-feira (1º). Anunciou que não disputa a reeleição. O motivo? Falta de recursos e uma herança de gestões anteriores acima de R$ 100 milhões. Os três anos e meio de sua gestão foram consumidos renegociando dívidas, catando moedas no chão – usando uma linguagem popular – e aplicando os parcos recursos que sobram em obras. Muito aquém daquilo que ele havia se comprometido. O cidadão não quer saber se no final, o prefeito sai como inoperante, CPF comprometido pela justiça devido a compromisso legais não cumpridos, e com seu patrimônio pessoal bloqueado.

Assim como Itamar, muitos prefeitos goianos estão avaliando se vale a pena enfrentar as urnas novamente. Este é o caso do prefeito de Alexânia, Ronaldo Queiroz (PMDB). Um dos mais hábeis políticos da região do Entorno de Brasília. Peemedebista histórico, experiente e com um currículo de serviços prestados ao município acima da média de gestores públicos. “Creio que deixo um legado para Alexânia bem melhor do que recebi. Minha equipe e eu modernizamos a estrutura administrativa, valorizamos os servidores e aplicamos cada recurso arrecadado por meio de tributos no município. Claro que está muito longe do ideal, mas considerando a situação crítica em que o país se encontra, fomos além, muito além das circunstâncias”, afirma Ronaldo.

Para Ronaldo, outro fator que desanima qualquer gestor público hoje, além da endêmica falta de recursos é o descrédito da população com a classe política. “Eu como cidadão, também me revolto com os malfeitos de nossos legisladores no Congresso. Eles esquecem que existem milhões de pessoas que votaram neles para defendê-los e os interesses do país. Infelizmente na última década isso foi desvirtuado. Não tenho mais como subir num palanque e defender bandeiras. Acho que esta tarefa, daqui para frente, deve ser empunhada pelos mais jovens”. Mas adverte: “Não disputo a reeleição, mas não deixo de viver e fazer política”.

Ronaldo tenta costurar uma aliança com os partidos que dão sustentação política na Câmara, indicando o vereador Adair Rabelo Neto (PMDB) como pré-candidato a prefeito pelo partido. A nova executiva do partido em Alexânia, sob o comando de Iron Sabino, fiel escudeiro de Ronaldo, assegura que o PMDB vai ter candidato.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN