Debate político em Cristalina está mais quente do que quentão à base de vinho chapinha

0
Para Daniel do Sindicato e Vanderlei da Plantebem, o vice ideal chama-se Fred Bastos, mas ele faz cara de paisagem quando o assunto enverada por esse caminho
Para Daniel do Sindicato e Vanderlei da Plantebem, o vice ideal chama-se Fred Bastos, mas ele faz cara de paisagem quando o assunto enverada por esse caminho

Por Wilson Silvestre – Até recentemente, a pré-campanha política em Cristalina estava num marasmo só. De um lado, Daniel do Sindicato (PSB) tocando sua vidinha de pré-candidato tremulando a bandeira de favorito na corrida rumo à prefeitura, praticamente sozinho quando o assunto era a sucessão municipal. Ele mantinha em banho-maria seu projeto político, despreocupado com os adversários. Ai entra em cena um novo ator chamado Fred Bastos (DEM). Até então, era só Vanderlei [da Plantebem] Benatti (PMDB), Marquinho Abrão (PRP), João Fachinello (PSDB), Edu Martni (PTB) entre outros menos cotados, alimentando especulações sobre a corrida rumo à prefeitura.

De repente, Marquinho Abrão que jurava não arredar o pé da pré-campanha a prefeito, joga a toalha e anuncia apoio ao empresário Fred Bastos (DEM). Meio desconfiado, mas conversando com os dois, o irredutível Vanderlei Plantebem mantém aberto ao diálogo. Ele avalia que se o grupo não marchar unido, diminui as chances de ganhar a disputa eleitoral. Mas ele não abre mão de ser a cabeça de chapa. Mas tudo indica que Fred tem outros planos. Quanto a Marquinho Abrão, agora diz que é pré-candidato a vereador. Se Vanderlei conseguir convencê-lo a apoiá-lo, leva um bom acervo de votos nas classes D e E, base da pirâmide social que Marquinho trafega com desenvoltura. Outra encrenca é que, segundo especulações dos adversários, Vanderlei pode perder na justiça o comando do PMDB para Marcelo Pezão.

Perigo mesmo está do outro e chama-se Maks Louzada (PSD), bancado pelo grupo do prefeito Luiz Attié. Esperto e maquiavélico, o sírio libanês – ele odeia ser chamado de turco –, avaliou que um pré-candidato mais jovem, articulado, sem vícios da velha política e mancha no currículo, como Maks Louzada tem mais chances de conquistar o eleitor do que o vice-prefeito João Fachinello (PSDB). Então, rifou o aliado que, magoado, saiu atirando e com a faca entre os dentes. “Acertadamente, Attié buscou um oponente a altura dos adversários, principalmente Daniel do Sindicato. Maks fala bem, tem carisma e conhece os labirintos da gestão”, defende o ex-secretário de Educação, professor Luciano Fernandes. O problema é que Fachinello diz em alto e bom som que não abre mão de sua pré-candidatura. “Sou o único pré-candidato com uma chapa completa, nominata de vereadores e vice”, disse ele ao blog no domingo (3), na feira de Cristalina, reduto obrigatório dos políticos no fim de semana. Ele ressalta que tem uma história de vida pública no município e aposta neste capital político.

João Fachinello vai precisar de muito esforço para vencer a concorrência já que aliado mesmo, só o PP controlado pelo seu filho, vereador Bernardo. Até o vice de sua chapa, Divino Rodrigues Mendes, ou simplesmente Cabo Mendes é do PSDB.

JUVENTUDE X RECURSOS – Os três pré-candidatos – Daniel, Maks e Fred – tem em comum, além de jovens, o fato de terem cascavel no bolso. Até agora estão mais duro do que beirada de sino ou só gastam saliva. Talvez por isso a apatia do eleitor que até agora não se entusiasmou com a campanha, mostrando-se arredio aos pretendentes. Neste aspecto, Vanderlei da Plantebem está mais estruturado. Tem marqueteiro e um mínimo de estrutura, como assessoria e gente de apoio.

Para observadores de plantão, a disputa deve afunilar no máximo, quatro pré-candidatos com chances de sentar-se na cadeira de prefeito. Daniel continua sendo o favorito, mas tem muito espaço para os demais concorrentes desbancá-lo da chamada ‘zona de conforto’. Se Vanderlei ou Daniel convencer Fred para a vice, as nuvens mudam de forma e lugar. Caso isso aconteça, a ressaca para muita gente que aposta num desfecho rápido e barato da campanha, pode virar uma tremenda dor de cabeça daquelas que só quentão à base de vinho chapinha provoca.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN