CRISTALINA] Luiz Attié e Daniel Sabino fazem história ao compartilhar gestão

0
Prefeito Luiz Attié (centro) e o eleito, Daniel Sabino (à direita): divergências políticas e críticas à atual gestão ficaram nos palanques da campanha. Agora, juntos, Daniel compartilha os processos de gestão da prefeitura visando iniciar sua gestão em janeiro sem atropelos e improvisos
Prefeito Luiz Attié (centro) e o eleito, Daniel Sabino (à direita): divergências políticas e críticas à atual gestão ficaram nos palanques da campanha. Agora, juntos, Daniel compartilha os processos de gestão da prefeitura visando iniciar sua gestão em janeiro sem atropelos e improvisos

Por Wilson Silvestre – Ventos civilizatórios tem levado uma brisa de calmaria nas relações entre adversários políticos, contendo beligerância entre perdedores e vitoriosos. Um dos exemplos mais simbólicos desta mudança comportamental entre adversários ocorre em Cristalina onde, após sofrer uma sistemática campanha de desconstrução de sua gestão nos últimos três anos, o prefeito Luiz Attié (PSD), abre as portas da prefeitura para seu algoz político, prefeito eleito Daniel Sabino (PSB).

Attié não disputou o cargo por estar em seu segundo mandato, portanto completando oito anos à frente da prefeitura. No entanto, seu partido precisava defender o legado da gestão pessedista indicando um nome, já que o vice-prefeito, João Fachinello (PSDB), não decolava nas intenções de votos. Attié indicou com aval da maioria do diretório municipal, o jovem gestor da saúde, Maks Louzada. Mesmo tendo uma legado de conquistas na administração da cidade, a onda de mudanças alimentada pelos adversários de Attié e Maks, venceu a política de realismo proposta pelo prefeito e seu indicado.

Passada a virulência verbal da campanha, Attié procurou, em nome da civilidade republicana e dos interesses dos cidadãos, seus adversários. Propôs a eles uma transição sem traumas dando a maior transparência possível aos atos da prefeitura como convênios, tanto com os governos federal e estadual. Esta transparência vai possibilitar Daniel e sua equipe dar continuidade aos serviços básicos essenciais à população. Sem eles, a gestão do prefeito que assume em janeiro, teria grandes dificuldades para organizar manter serviços regularmente, como limpeza urbana e captação de recursos.

“Defendo que um gestor público deve sobrepor as necessidades econômicas criando uma sinergia em prol do bem comum, principalmente para as pessoas que necessitam da proteção pública”, disse Attié ao blog na segunda-feira (12). Ao aprofundar sua visão de homem público, o prefeito lembra que “o PSD tem cumprido seu papel equilibrador entre a gestão pública e as demandas da sociedade, principalmente das camada mais desprotegidas da pirâmide social”.

Ao compartilhar o final de sua gestão com o adversário, Attié sinaliza que tem respeito pela decisão do eleitor e que as mudanças são necessárias, desde que sejam respeitados os parâmetros de civilidade. “Concretamente, hoje (segunda-feira, 12) iniciamos uma nova história nas relações entre adversários políticos e os interesses da população. O Daniel e eu deixamos a contenda política no campo das ideias e nos palanques. Agora, somos todos unidos em prol de Cristalina e sua gente. Esta soma de esforços culminou com a gestão compartilhada não só na garagem, mas também na saúde e educação, unidades vitais para a prestação de serviços à população do município.

Do lado de Daniel, o blog apurou que ainda estão dando os primeiros passos na gestão compartilhada, tomando conhecimento do que realmente pode ser feito daqui para a frente, levando em conta a realidade da escassez de recursos e pessoal. Daniel tem recomendado aos seus futuros auxiliares, definirem prioridades absolutas, com o mínimo de gastos. Ele quer o maior controle e acompanhamento das ações administrativas incluindo planilha diárias da execução de ações, custos, prazos, cronograma de entrega e metas.

“Quero fortalecer a comunicação entre secretários, gerentes de programas e gestores responsáveis pelo atendimento e prestação de serviços aos cidadãos. Precisamos dar respostas rápidas à população em suas demandas”. Para ele, por mais amigo que seja seu auxiliar, o que está em jogo não é a amizade com A ou B, mas a credibilidade de uma projeto administrativo avalizado pela população nas urnas. “A verdadeira gestão compartilhada será daqui para a frente, onde os cidadãos de Cristalina, independente de partido, religião ou condição social vão se posicionar sobre nossa gestão. Este é o nosso grande desafio e estou preparado, juntamente com nossa equipe para enfrentá-lo. Cauteloso, Daniel não quer emitir nenhum juízo de valor sobre a iniciativa de Attié, mas admite que a ideia e bem-vinda em se tratando de setores importantes como o da Garagem da Prefeitura, saúde e educação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN