Irrigação não só estimula o desenvolvimento socioeconômico em Goiás, mas também turismo, esporte e lazer

0
Presidente da Faeg, José Mário Schreiner: “Irrigação em Goiás não promove só o desenvolvimento econômico gerando empregos, mas estimula o agro como um todo, passando pelo turismo, piscicultura, lazer e esporte” (Fredox Carvalho)
Presidente da Faeg, José Mário Schreiner: “Irrigação em Goiás não promove só o desenvolvimento econômico gerando empregos, mas estimula o agro como um todo, passando pelo turismo, piscicultura, lazer e esporte” (Fredox Carvalho)

Por Juliana Barros (Portal Faeg) – “Goiás irriga hoje cerca de 170 mil hectares de área, mas precisamos ainda expandir o potencial que vem sendo subutilizado”, declarou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, durante a abertura do ‘Seminário Empreendimentos Hidrelétricos no Cerrado’, que ocorreu na segunda-feira (6), no auditório da Faeg. O evento é uma realização da Federação e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), em parceria com o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). Segundo José Mário, o Estado precisa repensar urgentemente sobre seu planejamento e futuro de crescimento para os próximos 35 anos. Ele também falou que o setor agropecuário é o único que continua apresentando crescimento, expressando a necessidade de garantir o crescimento de outros setores.

Para ele, é importante abordar temáticas como as trazidas para este encontro, sobre investimentos no setor hídrico. “Estes seminários são fundamentais para o desenvolvimento da economia, social e regional, já que atende todas as demandas do setor produtivo. É muito importante também falar sobre a instalação das Pequenas Centrais Elétricas (PCHs) em nosso Estado, empreendimentos de elevada importância para a geração de energia elétrica em Goiás”, destacou.

Segundo Schreiner, o evento é uma oportunidade para falar sobre a importância em investir cada vez mais em outras fontes de geração de energia limpa e renovável. “Com novas fontes de energias elétricas poderemos estimular o desenvolvimento socioeconômico em Goiás. Em consequência disso, estimularemos também o agro, turismo, lazer, esporte e a piscicultura. Teremos mais empregos e aumentaremos ainda mais a receita do nosso Estado”, expressou o presidente.  Ele também sinalizou a necessidade de um plano de bacias para a harmonia entre a oferta e demanda de água, em quantidade e qualidade, para todos os pontos da bacia hidrográfica. (Mais informações em: http://sistemafaeg.com.br/noticias/15770-irrigacao-estimula-desenvolvimento-socioeconomico-em-goias-2)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN