CRISTALINA] Gestão de saúde não é para amadores. Secretário da pasta pede para sair

0
Prefeito de Cristalina, Daniel Sabino (à esquerda) em menos de 90 dias de governo tem a primeira baixa no secretariado: Bispo Moisés Camargos deixa a pasta de saúde
Prefeito de Cristalina, Daniel Sabino (à esquerda) em menos de 90 dias de governo tem a primeira baixa no secretariado: Bispo Moisés Camargos deixa a pasta de saúde

Por Wilson Silvestre – Vivemos tempos sensíveis, sobretudo nas relações entre demandas da população por melhores serviços públicos e a penúria financeira dos municípios, estados e o país. Mas, o cidadão eleitor e contribuinte não quer saber disso. Na visão das pessoas, “foi eleito para resolver os problemas”, de preferência rápido e com eficiência. Como o país real acontece nos municípios, as demandas batem à porta primeiro do vereador e imediatamente na do prefeito da vez. É neste ‘esticar de corda’ que vem à tona a competência de prefeito e sua equipe em corresponder às expectativas da população.

O prefeito de Cristalina, Daniel [do Sindicato] Sabino (PSB), até agora tem se virado ‘nos 30’, mas ainda não deu um formato à sua gestão. Segundo seus auxiliares e ele próprio, a situação por enquanto é só remediar por conta da escassez de recursos frente a avalanche de demandas da população, principalmente em saúde, segurança e infraestrutura. Por se tratar de uma complexa atividade gerencial, a pasta da saúde é a mais emblemática. Não basta o titular ser honesto, integro e ‘sujeito boa praça’. Gerenciar o sistema não é para amadores.

Tido como um homem de bem, respeitado na comunidade e da estrita confiança do prefeito, o bispo Moisés Camargos foi uma escolha da cota pessoal de Daniel, mas na sexta-feira (17), pediu para sair.

Em nota na rede de relacionamento social, Moisés disse que “hoje à tarde (17/3) em conversa com meu amigo e prefeito Daniel, decidi colocar meu cargo à disposição”. Ele também conclama os funcionários a trabalharem com a mesma disposição enquanto o novo secretário, segundo informações não oficial, deve ser o médico ginecologista, obstetra e do trabalho, Luís Otávio Biazoto Massa. A conferir.

Quando Daniel e seu grupo eram pedras atiradas na vidraça do antecessor, tudo parecia fácil, mas agora, as posições se inverteram e eles estão como cachorro que corre atrás de ciclista. Se a pessoa para, o cão não sabe se morde ou sai correndo. A imagem figurativa pode parecer dura, mas reflete a realidade dos novos gestores do município de Cristalina. Estão batendo cabeça com a complexidade que a burocracia e o emaranhado de leis exigem de quem está à frente do executivo. Poucos conseguem sair da gestão pública sem ter complicações com o CPF. Não por desonestidade, mas pela pressão da sociedade em ter seus pleitos atendidos, o gestor acaba passando por cima da burocracia e caindo nas malhas da lei.

Tudo indica que estes entraves burocráticos, falta de recursos e a pressão por um atendimento de primeiro mundo exigido pela população, tenham sido as justificativas para o secretário de saúde de Cristalina, Bispo Moisés Camargos deixar o cargo. Tido como homem integro, honesto e líder religioso respeitado, deve ter percebido que secretário de saúde não é seu lugar.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN