LUZIÂNIA] Cristóvão Tormin atropela crise e dá exemplo como gestor público

0
Prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin: austeridade fiscal para investir mais em segurança, saúde, educação, infraestrutura e políticas sociais
Prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin: austeridade fiscal para investir mais em segurança, saúde, educação, infraestrutura e políticas sociais

Por Wilson Silvestre – Ao assumir o segundo mandato como prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin (PSD) estabeleceu metas ousadas para ele e sua equipe. A primeira foi determinar economia em todos os segmentos da administração incluindo redução de secretarias, contratos com fornecedores e número de pessoal comissionado. Cristóvão monitora pessoalmente cada ação, quer por meio de reuniões coletivas ou individualmente. Além de supervisionar todas as obras em andamento, ele mantém diálogo permanente com setores organizados da sociedade, como empresários, formadores de opinião, segmentos religiosos, lideranças comunitárias e vereadores. “Nestes mais de 100 dias de gestão, colhemos números positivos não só em economia no custo da máquina pública, mas sobretudo na eficiência do modelo de gestão. Uma administração moderna e comprometida com as expectativas da população não comporta mais gestores que ficam só em sala com ar refrigerado, distante dos problemas da cidade e das pessoas. Na prefeitura todos tem que suar a camisa. Este é o nosso compromisso”, resume Cristóvão numa rápida conversa com o blog na terça-feira (18).

Paralelamente, mantém salários em dia e cada real economizado são aplicados em ações que beneficiem o cidadão, principalmente em bairros onde as pessoas mais necessitam de serviços públicos. “A crise econômica e política é uma realidade, mas não podemos usá-la como desculpas para deixar de atender os anseios da população que acredita em nossa gestão, em nossas propostas e no desenvolvimento econômico e social de Luziânia. Não importa se o cidadão votou em nossas propostas ou não. O importante é governar para todos, fazendo uma Luziânia cada vez melhor para viver, trabalhar, estudar e edificar sonhos”, diz Cristóvão.

Em meio à falta de recursos, Cristóvão priorizou cinco áreas estruturantes na gestão: segurança, saúde, educação, infraestrutura e políticas sociais. Todas elas com metas a serem cumpridas e sob rigoroso controle de gastos. “A austeridade fiscal em nosso governo é a base fundamental para correspondermos às expectativas da população. Sem este controle rígido, não se consegue atender demandas da sociedade”.

Sua agenda de trabalho nunca é inferior a 10 horas diária. “As pessoas precisam entender que um prefeito não pode ficar sentado em seu gabinete só recebendo relatórios, despachando ordem de serviços e distante dos problemas da população. Acredito muito no gerenciamento de metas estratégicas, mas a eficácia tem muito a haver com o permanente monitoramento dos resultados”, frisa.

Uma das áreas mais críticas que atormenta a população brasileira, principalmente municípios com mais de 200 mil habitantes, sem dúvida é a de segurança pública. Foi uma das primeiras providências que Cristóvão tomou ao iniciar o segundo mandato. Bateu na porta do governo do estado em busca de mais homens para o policiamento ostensivo. “Teve semana que fui a Goiânia três vezes para audiências com o governador Marconi Perillo, secretário de segurança e comando da Polícia Militar. O esforço foi compensado. Hoje, Luziânia e municípios vizinhos como Valparaíso, Novo Gama, Cidade Ocidental e Cristalina, dispõem de uma base operacional da PM que inclui um batalhão da Rotam e uma unidade aérea, além claro, da ampliação do efetivo tanto da PM quanto da Polícia Civil. Se tivesse sentado no gabinete e não fizesse uma esforço político e de aporte dos recursos financeiros, nada disso teria sido concretizado”, afiança o prefeito.

Na área de saúde, investimentos não param como a reforma e ampliação do Hospital Regional de Luziânia, reforma do Hospital do Ingá, conclusão das unidades do CER, CAPS, CEO e mais nove Unidades de Saúde. A mais recente conquista em recursos foi o anúncio do governador Marconi Perillo destinando R$ 10 milhões para infraestrutura. Inicialmente eram apenas R$ 5 milhões, mas a qualidade dos projetos apresentados pelo prefeito Cristóvão Tormin ao governador, principalmente para o Jardim Ingá – populoso bairro de Luziânia com mais de 100 mil habitantes –, carente de saneamento básico e asfalto, convenceu o estado da necessidade de aumentar o valor. “Precisamos dar continuidade aos projetos iniciados e investir em outras áreas, ampliando o alcance das ações do governo”, conclui Cristóvão.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN