Plenário da Câmara aprova emenda de Vecci e conclui votação do projeto sobre dívida dos estados

0
Calejado em enfrentar desafios no setor público, deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB-GO), emplaca emenda no Projeto de Lei Complementar sobre renegociação de dívidas dos estados (Agência Câmara)
Calejado em enfrentar desafios no setor público, deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB-GO), emplaca emenda no Projeto de Lei Complementar sobre renegociação de dívidas dos estados (Agência Câmara)

Por Wilson Silvestre – Acostumado a lidar com escassez de recursos, mas fazendo o mais com o mínimo, o deputado federal Giuseppe Vecci, do PSDB de Goiás, é um político atípico: não pensa no agora, mas no amanhã. Foi com esta visão de estadista e não de tecnocrata como muitos atribuem à sua atuação como gestor, que ele conquistou espaços no seleto grupo de líderes que dominam a Câmara Federal.

Sua experiência como gestor público e o conhecimento como poucos da engrenagem que move a burocracia estatal, foram sua senha para fazer parte de uma elite política que discute os novos caminhos do país. Mesmo em meio ao descrédito do Congresso, mudanças importantes estão sendo aprovadas. Dentre estas propostas, uma tão importante quanto as reformas da previdência, trabalhista e política, sem dúvida é a renegociação das dívidas dos estados.

Na quarta-feira (10), o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 348 votos a 2, emenda apresentada por Giuseppe Vecci ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 343/17, que inclui no texto a permissão de renegociação de dívidas com base na Lei 8.727/93, prevendo novo prazo de pagamento de até 240 meses e prestações calculadas pela tabela Price.

“Agora, a proposta seguirá para votação no Senado, onde, acredito será aprovada. Afinal, serão 24 estados beneficiados com este projeto que terão o prazo de suas dívidas alongados”, disse Vecci ao blog. A emenda trata também da renegociações de dívidas perante o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Cabe aos estado como contrapartida, aprovar leis reduzindo gastos, aumentos para funcionários públicos e até privatizações de empresas.

Como secretário de Planejamento e mesmo atuando em outras áreas da gestão pública, Giuseppe Vecci sempre foi um ferrenho defensor da sustentabilidade do estado dentro de conceitos econômico e políticos, mas sem ultrapassar os limites fiscal. Defendeu suas ideias e propostas quando à frente do ajuste fiscal do Governo de Goiás, até à exaustão, confrontando aliados e até mesmo amigos. Hoje, Goiás pode sair à frente das demais unidades da federação, investindo em infraestrutura, moradia, segurança e educação. Parte deste mérito deve ser creditado ao político e estadista Giuseppe Vecci.

Pela proposta, estados em situação de calamidade fiscal poderão aderir ao regime de recuperação em troca de contrapartidas como privatizações, congelamento de salários de servidores e redução de incentivos tributários. (Com Agência Câmara).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN