Marcelo Melo abre espaço político para José Vitti no Entorno e irrita prefeito Cristóvão Tormin

0
Ex-deputado federal, Marcelo Melo abre caminho no Entorno – segundo colégio eleitoral de Goiás – para a reeleição de José Vitti (PSDB), prejudicando Murilo Roriz (PSD), fiel escudeiro do prefeito Cristóvão na caminhada rumo à Assembleia Legislativa Estadual
Ex-deputado federal, Marcelo Melo abre caminho no Entorno – segundo colégio eleitoral de Goiás – para a reeleição de José Vitti (PSDB), prejudicando Murilo Roriz (PSD), fiel escudeiro do prefeito Cristóvão na caminhada rumo à Assembleia Legislativa Estadual

Por Wilson Silvestre – Parece que o ex-deputado federal, Marcelo Melo (PSDB) andou lendo ‘Da Guerra’, livro escrito pelo general prussiano, Carl Phillip Gottlieb von Clausewitz (1780–1831). Entre suas observações, tanto militar quanto política, Clausewitz ensina que “Para alcançar a vitória devemos concentrar nossa força no centro de poder e movimento do inimigo. Seu centro de gravidade”.

Ao abrir espaço político para o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, José Vitti (PSDB) no segundo maior colégio eleitoral do estado, principalmente em Luziânia, território dominado por Cristóvão Tormin (PSD), Marcelo põe em prática esta teoria e morde uma fatia do eleitorado que não reza na missa do prefeito. Este movimento de Marcelo deixou Cristóvão irritado pois até então, sua estratégia de mãos estendidas aos adversários estava dando certo. Quando não conseguia, minava o terreno do adversário.

Cristóvão aposta suas fichas na eleição de seu fiel escudeiro e presidente da Câmara de Vereadores de Luziânia, Murilo Roriz (PSD) como deputado estadual “de Luziânia”. O prefeito havia ‘limpado’ o caminho para Murilo ao reduzir as chances de reeleição do deputado estadual Diego Sorgatto (PSB) – outro desafeto juramentado do prefeito –, cooptando aliados do deputado no Jardim Ingá, principal bairro de Luziânia com mais de 100 mil habitantes. Agora, surpreendido com esta nova frente, Cristóvão deve mirar suas baterias em Marcelo já que restou poucos adversários para combater, a não ser os professores, principal foco interno de resistência à sua gestão.

O caminho estava praticamente livre para que Murilo Roriz caminhasse livre na busca de aliados mas, como dizia a raposa política de Minas Gerais, Magalhães Pinto: “Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”. Cristóvão terá que enfrentar mais esta frente de batalha interna, além da que tem combatido na área de educação.

Se Marcelo Melo conseguir abrir corações e mentes do eleitor de Luziânia a votarem em José Vitti para deputado estadual, Diego Sorgatto e Murilo terão que apressar o passo na região na conquista de aliados. Enquanto isso, trabalhando 24 horas ininterruptas Célio Silveira (PSDB) fuma o cachimbo da paz com Cristóvão, removendo o principal obstáculo à sua reeleição para a Câmara Federal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN