TUCANOS EM GUERRA] Rollemberg faz jogada de risco ao tentar isolar PSDB ligado a Izalci Lucas

0
Deputado federal e presidente do PSDB-DF, Izalci Lucas: “Não existe lógica em fazer acordo com um governo que está com quase 90 por cento de rejeição. Temos certeza que estamos no caminho certo”.
Deputado federal e presidente do PSDB-DF, Izalci Lucas: “Não existe lógica em fazer acordo com um governo que está com quase 90 por cento de rejeição. Temos certeza que estamos no caminho certo”.

Por Wilson Silvestre – Assim como as guerras medievais eram quase todas inconclusivas devido aos altos custos altos de ambos os lados, a contenda entre os tucanos do Distrito Federal, tende a seguirem o mesmo fim. Quem está sitiado dentro do castelo — caso da ex-vice-governadora Maria Abadia –, simbolizado pelo Palácio do Buriti, conta com a falta de guerreiros e recursos do atacante Izalci Lucas.

Com bastante comida estocada para resistir ao cerco, Abadia ainda conta com a proteção do Senhor do PSB, Rodrigo Rollemberg. Mesmo ele estando em baixa com seus súditos, insiste em resistir às investidas de seus inimigos pois, alguns nobres do reino precisam de suas benesses simbolizada por cargos e alguns mimos da corte.

Esta fábula medieval teve algumas escaramuças, mas sem mortos, apenas alguns ferimentos dos dois lados. Tanto Rollemberg quanto Izalci estão com suas forças de ataque pulverizadas, sem meios para impor uma derrota definitiva um ao outro. Mas, o contra-ataque defiro pelo Senhor Rollemberg do Buriti ao aguerrido Izalci Lucas, parece não ter sido bem sucedido.

Ao nomear Maria de Lourdes Abadia, a “histórica do PSDB e tombada como patrimônio” da legenda para secretaria extraordinária, Rollemberg imaginava atrair para seu castelo, tucanos emplumados. Sua estratégia era diminuir as fileiras de apoios na cúpula nacional, ao rebelde Izalci. Parece que não deu certo.

Rollemberg faz uma jogada de risco ao tentar dividir os tucanos brasilienses, mesmo com a cúpula nacional dividida, Tasso Jereissant e se, hipoteticamente falando, Tasso Jereissati afiançou que Izalci continua sendo o maestro das negociações em |Brasília.

O blog conversou via WhatsApp com Izalci Lucas em meio à votação da segunda denúncia contra Michel Temer. Por meio de nota ele disse que “Não há acordo com Rollemberg”. Confira abaixo:

“A ida da ex-governadora Maria de Lourdes Abadia para o governo de Rodrigo Rollemberg contraria frontalmente decisões recentes da Executiva Regional do PSDB que orientaram os filiados ao partido de não ocuparem cargos na atual gestão do GDF. Ao aceitar a nomeação, Maria de Lourdes Abadia tomou uma decisão pessoal e não partidária. A Executiva Regional do PSDB se reunirá de forma extraordinária nos próximos dias para deliberar sobre o assunto, mas de antemão entendemos que a ex-governadora terá que, no mínimo, se licenciar de sua filiação partidária para assumir o cargo no governo de Rodrigo Rollemberg, a quem o PSDB-DF faz oposição.

Por enquanto, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) só conseguiu uma pequena fatia do bolo tucano: Maria de Lourdes Abadia (Pedro Ventura/Agência Brasília)
Por enquanto, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) só conseguiu uma pequena fatia do bolo tucano: Maria de Lourdes Abadia (Pedro Ventura/Agência Brasília)

É importante salientar que não existe qualquer acordo entre a Executiva Nacional do PSDB e o governador Rodrigo Rollemberg em torno de possíveis alianças eleitorais para o ano que vem. Segunda-feira passada (16/10), estive pessoalmente com o presidente nacional do Partido, senador Tasso Jereissati, que me disse haver recebido uma ligação do governador do DF solicitando um encontro. Adiantei ao senador que, no DF, não havia hipótese de acordo com Rollemberg, que tem um governo com quase 90 por cento de reprovação popular e que vê vários partidos abandonarem seu barco, conforme noticiado na imprensa nos últimos dias.

Ontem (24/10), após o encontro com Rollemberg, o senador Tasso me ligou relatando sua conversa com o governador, em que reafirmara sua postura de que as decisões locais serão tomadas pela executiva regional.  Hoje à tarde (25/10) estive novamente com o presidente Tasso, que fez questão de gravar um vídeo ratificando o que me dissera na véspera.

O assédio do governador pessoas de outros partidos – nos últimos dias notadamente àquelas filiadas ao PSDB – chega às raias da indecência. Também ontem (24/10) após seu encontro com o senador Tasso, Rollemberg me telefonou oferecendo cargos no governo e sugerindo uma aliança para as eleições do ano que vem. Refutei de imediato e lembrei a ele que não há mais espaço para tal aliança. Primeiro, porque das outras vezes em que houve acordos, ele não cumpriu com nada. Segundo, porque não há lógica em fazer um acordo com um governo que está com quase 90 por cento de rejeição.

No afã de lutar por uma reeleição improvável – conforme todas as pesquisas sérias – Rollemberg não se envergonha de usar a máquina pública para comprar votos e mentes. Mas o PSDB do DF de hoje é diferente daquele que, por sua subserviência, nunca exerceu o protagonismo na política brasiliense. Temos certeza de que estamos no caminho certo e de que o último capítulo dessa batalha com o poder de Rodrigo Rollemberg será nas urnas, e sairemos vitoriosos, porque o povo de Brasília quer mudança, quer experiência, quer planejamento, quer seriedade.

Deputado federal Izalci Lucas

Presidente do PSDB-DF”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN