Enquanto a oposição faz barulho, gestão Daniel do Sindicato olha o futuro de Cristalina ajudando estudantes universitários

0
Prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato, secretária de Educação, Nilda Gonzatti e o presidente da Assesuc, Cleiton da Silva na assinatura do convênio que beneficia 460 estudantes universitários do município
Prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato, secretária de Educação, Nilda Gonzatti e o presidente da Assesuc, Cleiton da Silva na assinatura do convênio que beneficia 460 estudantes universitários do município

Por Wilson Silvestre – Quando um gestor público prioriza o que é mais importante para o futuro, ele torna-se protagonista do presente cuidando primeiro das pessoas. Não adianta investir em obras se o principal ativo de uma comunidade, por menor ou uma metrópole que seja, é o bem estar coletivo. Pouco importa em que estrato social encontra-se cada cidadão, pois os benefícios não podem ser individual, mas coletivo, mesmo que implique na incompreensão de alguns. “A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”, registrou o professor, escritor e consultor administrativo, Peter Drucker (1909-2005), considerado o pai da administração moderna.

Mesmo que o prefeito de Cristalina, Daniel [do Sindicato] Sabino Vaz (PSB) não tenha lido Peter Drucker, seu instinto de homem público faz dele um agente da mudança, protagonista de um novo jeito de pensar e administrar o bem coletivo. Decorrido o 1º ano à frente da gestão de Cristalina, Daniel avança no controle da máquina burocrática e imprime um estilo próprio de governar, alheio ao barulho que os poucos tocadores de bumbo fazem para chamar a atenção dos cidadãos que estão preocupados com o dia a dia da sobrevivência.

Com esta nova mentalidade administrativa e o resgaste do controle fiscal, Daniel dá início a uma fase de retorno aos cidadãos, quer por meio de reconstrução de vias públicas, organização tributária e a constante busca por recursos para serem aplicados em melhorias no município.

Paralelamente, busca atender demandas importantes para os cidadãos que necessitam da ação pública para alavancar seus projetos de vida. O mais recente resgate deste compromisso foi a assinatura de vários convênios com instituições e entidades, beneficiando diretamente pessoas da comunidade que precisam do apoio público.

Entre os beneficiários destes convênios, encontram-se 460 estudantes universitários que estudam em faculdades fora do município de Cristalina, principalmente em Paracatu, em Minas Gerais. Estes estudantes, além do custo com a mensalidade do curso, pagam transporte. Muitos deles desistiram da conclusão do ensino superior por não terem recursos financeiros. “Temos compromisso com os jovens universitários e suas famílias. Não se trata de generosidade, mas sobretudo um investimento em pessoas que vão contribuir, após formados, com o desenvolvimento de nosso município. Queremos um futuro digno para nossa gente e sabemos o quanto estas bolsas são importantes para estes jovens”, frisa Daniel.

Os beneficiários são 150 alunos que estudam na Facec e 310 que pagam ônibus até às faculdades em cidades vizinhas. Daniel sabe que um município com a importância estratégica de Cristalina e sua constante expansão da agroindústria, necessita de pessoas qualificadas para exercerem as mais diversas atividades profissional. “Sem mão de obra especializada num mundo cada vez mais tecnológico, investir em educação e possibilitar acesso à graduação superior, é o mínimo que o município pode fazer”, garante.

Este reconhecimento foi compartilhado nas redes sociais pela acadêmica em direito da Faculdade Central de Cristalina, Karol Porto Bazot. “Eu achei incrível essa iniciativa do prefeito Daniel. Só uma pessoa com valores e sensibilidade pública, poderia se preocupar com o futuro profissional dos que não têm condições de arcar com o custo integral do curso. Existe um ditado que diz: não há tarefa mais importante do que a gratidão. Então, fica registrado aqui o meu respeito ao Daniel e os meus agradecimentos”.

O município gasta em torno de R$ 40 mil mensais, repassados sem atrasos para a Facec e para a Associação dos Estudantes Universitários de Cristalina (Assesuc). O estudante de Agronomia e presidente da Assesuc, Cleiton da Silva foi o responsável pela assinatura do convênio. A contrapartida dos estudantes com o município é a prestação de serviços por 10 horas mensais em escolas, creches e, eventualmente, serem convocados para eventos promovidos pela prefeitura e Secretaria de Educação. O estudante beneficiado não pode ter mais do que duas reprovações em matérias, caso ocorra, perderá a bolsa que varia entre R$ 150 a R$ 350 reais, dependendo do curso. Detalhe: todos os estudantes que pleitearam a bolsa, foram contemplados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN