Ronaldo Caiado como ele é e não como foi pintado pelos adversários

0
SIMPLES SEM SER POPULISTA – Ronaldo Caiado é gente como a gente: sensível, humano, apaixonado pelos animais, carismático, distante da ostentação por vinhos caros e restaurantes dos poderosos. Conhece a maioria dos países do mundo, mas ‘seu mundo’ continua sendo Goiás e sua gente. (Reprodução Facebook)
SIMPLES SEM SER POPULISTA – Ronaldo Caiado é gente como a gente: sensível, humano, apaixonado pelos animais, carismático, distante da ostentação por vinhos caros e restaurantes dos poderosos. Conhece a maioria dos países do mundo, mas ‘seu mundo’ continua sendo Goiás e sua gente. (Reprodução Facebook)

Por Wilson Silvestre – Qualquer partido que atue como protagonista de oposição ao governante da hora, seja ele à direita ou à esquerda, tem como objetivo chegar ao poder. Para tanto, necessita ser duro nas críticas, mas também apontar caminhos fazendo com que a população sonhe com dias melhores. Tanto Daniel Vilela (MDB) como Ronaldo Caiado (DEM), dois adversários do pré-candidato do PSDB, Zé Eliton perseguem este objetivo, pregando uma nova era política e mudanças nos personagens que comandam o estado há quase 20 anos.

Para entender – e conhecer de perto – a atuação política do pré-candidato ao Governo de Goiás, Ronaldo Caiado, o blog acompanhou na segunda-feira (26/3), reunião do senador com lideranças do interior e de Goiânia que apoiam José Mário da Faeg deputado federal. Ao contrário do que apregoam seus adversários, o Caiado que a maioria dos formadores de opinião descrevem – a não ser a semelhança física –, nada tem em comum com o Caiado informal.

Embora continue sendo um líder de conversas objetivas, francas que não deixa margem aos interlocutores para dúvidas ou interpretações, aje como estadista: focando o hoje, mas pensando no futuro. Talvez por conta desta objetividade pontual, às vezes com palavras cortantes, esteja a origem da lenda urbana apregoada pelos adversários ao longo de sua trajetória públicas, tentando ‘colar’ nele, o conceito de homem arrogante, ditador e rude com as pessoas. Nada mais falso.

Caiado é um médico conceituado, moderno, defensor de políticas públicas voltadas para o crescimento do cidadão e não apenas assistencialista. Defende a iniciativa privada com o mínimo de interferência do Estado, a não ser para criar condições para que o empreendedor, seja ele micro, médio ou grande gere riquezas criando oportunidades e melhorando as condições de vida das pessoas.

Foi este Caiado que o blog viu, recebendo lideranças individual ou em grupos, sorridente, afável e cumprimentando a todos efusivamente. Aos que ele conhece há mais tempo, citava o nome e comentava sobre o município demostrando ter amplo conhecimento da gestão. Ouvia atentamente a todos anotando em sua agenda o pedido. A maioria foi à audiência apenas para hipotecar apoio à candidatura ao governo.

Em momento algum Caiado teceu críticas aos atuais mandatários do poder em Goiás, mas sempre reforçava falhas apontadas pelos interlocutores. Muitas delas sobre a falta de investimentos em determinadas regiões, sendo as mais contundentes energia, o abandono do governo aos produtores rurais, principalmente os pequenos; carga tributária excessiva, ausência de segurança e deficiência na saúde prestada pelo estado no interior. Pacientemente, mesmo tendo outros compromissos agendados para cumprir, Caiado ouvia atento, anotava ou falava para um assessor anotar e cobrar dele posteriormente.

Aquele Caiado oposicionista aos poderosos do momento, mas também da boa prosa política, “está de coração aberto para receber todos que desejam o melhor para Goiás, menos os corruptos e suas mazelas”, sublinhou o pré-candidato a deputado federal, José Mário da Faeg.

De fato, desde quando era deputado federal, Caiado fez – e faz – apartes cortantes, discursos duros e raivosos que às vezes beiram ao destempero. Este Ronaldo Caiado tribuno é um personagem carbonário, buliçoso e um templário quando sai em defesa de suas convicções, marcadamente em se tratando dos interesses do país e de Goiás. Um personagem que aprendeu a viver no serpentário do Congresso Nacional, onde, se não tiver habilidade para revidar as picadas das cobras peçonhentas, sucumbe e vira massa de manobra dos poderosos.

Foi este jeito duro de se fazer ouvir que despertou a mídia nacional, quase toda ela formada na pedagogia de esquerda, portanto, ávida por desconstruir quem não reza a cartilha do establishment. Este Caiado parlamentar nota 10, avaliado com méritos por formadores de opinião e instituições como o Dieese, difere muito do Caiado amigo e líder em Goiás. Agora, enfrentado seu maior desafio: convencer o eleitor que ele pode fazer diferente, vencer a máquina política que tem a mídia como aliada e conquistar corações e mentes dos goianos.

HOMEM DE FÉ -  Quantos líderes são efusivamente abraçados pelas pessoas anônimas, simples e distantes dos gabinetes refrigerados? Ronaldo Caiado é festejado em todos os lugares que frequenta, exemplo como esta imagem na Romaria de Muquém, em Niquelândia.
HOMEM DE FÉ – Quantos líderes são efusivamente abraçados pelas pessoas anônimas, simples e distantes dos gabinetes refrigerados? Ronaldo Caiado é festejado em todos os lugares que frequenta, exemplo como esta imagem na Romaria de Muquém, em Niquelândia.

Caiado quer ser a nova cara de Goiás, não os Caiados da lenda urbana tidos como maus, senhores feudais e duros. Esta imagem foi difundida pelo velho PSD de Pedro Ludovico, senhor absoluto da mídia e interventor nomeado por Getúlio Vargas em Goiás. Claro que houve excessos de um lado ou outro, mas a história não é escrita com flores, mas atribuir a Caiado médico moderno e político corajoso, práticas coloniais é um disparate. Não é isto que a maioria dos goianos vêm. Se assim fosse, ele não estaria liderando a corrida rumo ao Palácio das Esmeraldas. Note: o DEM é uma quimera em relação aos partidos tradicionais no Estado. Tem menos de meia dúzia de prefeitos, poucos vereadores, mas soube capitalizar o desejo de mudanças.

É com poucos aliados e gente nova que Ronaldo Caiado mostra que existe outro caminho para Goiás fora do oficial. Seus discursos e ideias permitem deduzir que ele deseja um Estado menos refém do clientelismo partidário. Ele tem consciência que esta jornada será penosa, mas como ele registrou em seu Twitter recentemente: “Não amarelo na hora de defender Goiás. Tenho muito orgulho de ser goiano. Ser goiano é uma coisa muito forte para mim”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN