Saúde de Águas Lindas abre inquérito sobre morte de criança atendida no Hospital Municipal Bom Jesus

0
Secretaria de Saúde de Águas Lindas abre processo administrativo sobre morte de criança atendida no Hospital Municipal Bom Jesus
Secretaria de Saúde de Águas Lindas abre processo administrativo sobre morte de criança atendida no Hospital Municipal Bom Jesus

Por Wilson Silvestre – Localizada na região oeste da Região Metropolitana de Brasília (Rembra), Águas Lindas tornou-se uma referência no atendimento na área de saúde. “Este conceito foi conquistado com muito investimento e trabalho, aliado a uma equipe de médicos e corpo técnico de altíssima qualidade”, tem repetido orgulhosamente em solenidades, o prefeito Hildo do Candango (PTB). Para ele, respeito à pessoa, atendimento humanizado e ético, aliado a uma “equipe de profissionais comprometidos com o bem estar de seus pacientes, nos orgulha muito”. Mas, com todos os procedimentos na busca de excelência no padrão hospitalar, nem sempre os profissionais de saúde conseguem evitar mortes.

A Secretaria de Saúde mantém um constante monitoramento nos procedimentos médicos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e instituições responsáveis pela fiscalização administrativa e médica. O conceito de que “um hospital é uma organizador de caráter médico-social, que deve garantir assistência médica, tanto curativa como preventiva para a população”, é levado ao grau máximo em Águas Lindas.

Todos estes cuidados não evita o imponderável, caso da morte de uma criança atendida no Hospital Bom Jesus. Em nota, a secretaria de Saúde de Águas Lindas diz que “a paciente Jheily Evelyn Alves Costa deu entrada no Hospital Municipal Bom Jesus no dia 15 de janeiro às 22h53 e no dia 17, às 18h58. Em ambos os dias a criança foi atendida em tempo hábil e todos os procedimentos necessários foram realizados”.

A secretaria garante que no primeiro atendimento, “a médica plantonista solicitou exames de sangue que foram realizados no próprio hospital. Após avaliação dos resultados do exame, a criança foi medicada e só então foi liberada”. Prossegue a nota: “No dia 17 de janeiro o médico responsável prestou atendimento, analisou os exames e prescreveu a medicação. A criança recebeu alta hospitalar por volta das 21 horas do mesmo dia”.

Infelizmente a criança veio a falecer gerando dúvidas da família sobre os procedimentos médicos recebidos no hospital. Para evitar especulações e maledicência sobre a lisura dos profissionais que atuam no atendimento à saúde em Águas Lindas, a secretaria aguarda “a divulgação do laudo de verificação de óbito sobre a causa morte da paciente, mas enquanto os resultados não saem, um processo administrativo será iniciado de imediato para análise de todas as etapas de atendimento para que o ocorrido seja esclarecido”, finaliza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN