Lissauer Vieira não será o algoz de Ronaldo Caiado na AL e pode ajudar na busca da estabilidade financeira de Goiás

0
Presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Lissauer Vieira (PSB): diálogo com o governo sem subserviência tendo os interesses da população resguardados. (Ruber Couto/Comunicação Alego)
Presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Lissauer Vieira (PSB): diálogo com o governo sem subserviência tendo os interesses da população resguardados. (Ruber Couto/Comunicação Alego)

Por Wilson Silvestre – Por Wilson Silvestre – Mesmo tendo recebidos criticas pela derrota na eleição do presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o secretário de Governo e integrante do MDB do C (‘C’ de Caiado), Ernesto Roller demostrou que é bom articulador político, mas “uma andorinha só não faz verão”. Ele ficou limitado numa faixa estreita onde as indagações e demandas dos deputados tido como aliados, ficaram sem respostas concretas ou pelo menos asseguradas.

Alguns deputados não esconderam a frustração em não ter tido um simples telefonema do governador após a eleição. “Diferente de outros governos, nunca recebemos um convite para conversar sobre a situação do estado e muito menos para alinhar um discurso”, disse um dos aliados de Caiado ao blog. Eles reconhecem que o povo queria mudanças e o governador foi o depositário ´dessa insatisfação. “Tenho convicção que nós deputados eleitos, contribuímos com no máximo 20 por cento de sua vitória, Mas, não custava nada ele ter feito um afago aos aliados”, lamenta a fonte do blog.

Talvez por estar sendo consumido minuto a minuto na tarefa em encontrar solução para a “grave crise financeira em que se encontra Goiás”, o governador Ronaldo Caiado (DEM) não tenha dedicado tempo necessário à articulação política junto aos deputados. Pela experiência acumulada em mais de 30 anos no embate político, Caiado sabia que as manhas e artimanhas dos parlamentares para ‘negociar’ seus interesses paroquiais antes de se falar em “interesses do cidadão”, poderia ser um entrave.

Ao entrar na conversa faltando poucas horas para encerrar as discussões sobre a chapa de consenso para eleger Álvaro Guimarães (PR) presidente da Alego, Caiado viu que a corda estava muito esticada e não dava mais para segurar. O clima foi tenso, tanto pelo estresse do governador quanto pelo cansaço de ‘Suas Excelências’ em tentar extrair um ‘naco de poder’ no governo. Naturalmente nessa hora Caiado se despiu do figurino de governador e incorporou o Congressista que nunca se calou diante do embate. Falou o que pensava e saiu da reunião disposto a encarar qualquer resultado. Como estava escrito no roteiro, o deputado Lissauer Vieira (PSB) foi eleito presidente da Alego. Assentada a poeira, Roller vem atuando como bombeiro junto aos parlamentares e atenuando o efeito ‘Caiado na Alego’.

Governador Ronaldo Caiado e seu articulador político, Ernesto Roller tentaram um acordo, mas ‘a corda estava muito esticada’ pró Lissauer Vieira então liberaram os aliados do compromisso com Ávaro Guimarães. (Ruber Couto/Comunicação Alego)
Governador Ronaldo Caiado e seu articulador político, Ernesto Roller tentaram um acordo, mas ‘a corda estava muito esticada’ pró Lissauer Vieira então liberaram os aliados do compromisso com Ávaro Guimarães. (Ruber Couto/Comunicação Alego)

O secretário de Governo tem dito em suas conversas com deputados que a escassez de recursos do estado, contribuí muito para o aumento da ebulição entre o governo e aliados, mas o governador está focado 24 horas na reconstrução segura de um eixo desenvolvimentista para Goiás. “Confiança, credibilidade, honestidade e palavra empenhada são conceitos que o governador Caiado não abre mão e trabalha para honrar cada um deles”, segundo um interlocutor disse ter ouvido de Roller.

O fato é que Caiado ainda não se sente à vontade sentado na principal cadeira do Palácio das Esmeraldas sabendo que lá fora, mais de 6 milhões de pessoas esperam do poder público melhor prestação de serviços. É neste contexto que o governador espera receber do presidente da Alego, Lissauer e os deputados colaboração na reconstrução administrativa e fiscal de Goiás. Não existe mais espaço para o ‘toma lá, dá cá’ da velha política. Se os deputados não entenderem esta nova ordem sacramentada pelas urnas em 7 de outubro passado, terão vida curta na política.

O presidente da Alego e o governador têm o mesmo DNA político construído junto ao agronegócio e uma classe média urbana, segmentos que são no estado, âncoras na geração de empregos e tributos, portanto, ambos necessitam um do outro. Mas isto não impede Lissauer pautar a independência do Legislativo tendo como foco os interesses do Estado. Ele sabe que as divergências serão parte dos interesses coletivos na reconstrução das finanças pública.

Na avaliação do ex-prefeito de Cristalina, Luiz Attié (DEM) “Caiado não vai politizar com a Alego e sim dialogar na busca de consenso visando os interesses comuns da população”. Para Attié, assim como Bolsonaro fez no Governo Federal, o personalismo na escolha do secretariado, além do compromisso de campanha, busca dar ao governo perfil mais técnico sem muita contaminação política de apadrinhados. Acredito que ao recuperar o equilíbrio fiscal de Goiás, o governador dedicará mais tempo à política”.

Marcado por um perfil conciliador, Lissauer deverá adotar um programa de ações na Alego elevando a dignidade do poder, reconstruindo a prática da boa política e, consequentemente, resgatando a credibilidade dos políticos. Nesse novo caminhar, Lissauer deve fortalecer a interlocução entre os cidadãos e o governo evitando arroubos leoninos dos deputados que são oposição ao governo. O debate deverá ser em alto nível e não predador, onde todos perdem. O jogo democrático se faz com ideias e contraponto e não como algoz, mas sustentados por argumentos propositivos.

Claro que sempre haverá a desconfiança do governo sobre as intenções de Lissauer afinal, consta na contabilidade de sua vitória, as digitais do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), desafeto declarado de Caiado. No entanto, espera-se do presidente da Alego, sabedoria em dividir o que é bom para o povo sem prejudicar o Estado. De acordo com ele, “Vamos trabalhar com muito respeito com o Governo do Estado. Vamos nos pautar pelo Regimento Interno e tramitar todos os processos do Executivo da maneira correta, e com diálogo aberto. Não estamos aqui para atrapalhar Goiás”, frisou após sua vitória na sexta-feira (1/2).

A população espera que os deputados cumpram seu papel lutando em defesa da população e não de seus interesses individuais ou grupos. Lute muito para que seus feitos de grandeza e glória no legislativo sejam deixados como herança às novas gerações, não suas pequenezes e rasuras no debate.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN