Demitida, ex-aliada de Daniel do Sindicato posta vídeo denunciando o prefeito e vereadores

0
Ex-presidente do Funcristal, professora Cristina Freire: demitida da gestão de forma grosseira pelo prefeito, ela postou vídeo em suas redes sociais contendo denúncias com cheiro de nitroglicerina pura contra Daniel e vereadores aliados. (Foto: reprodução do vídeo publicado na página pessoal no Facebook).
Ex-presidente do Funcristal, professora Cristina Freire: demitida da gestão de forma grosseira pelo prefeito, ela postou vídeo em suas redes sociais contendo denúncias com cheiro de nitroglicerina pura contra Daniel e vereadores aliados. (Foto: reprodução do vídeo publicado na página pessoal no Facebook).

Por Wilson Silvestre – Aliados do prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato (por enquanto no PSB), aos poucos vão minguando em relação ao formato original que o ajudou na conquista da prefeitura em 2016. A primeira e mais ruidoso dissidência foi a do vice-prefeito – uma das vozes mais sensatas do grupo –, Luiz Henrique (PDT). Como ele não pode ser demitido, está sendo tratado a pão e água como se diz no jargão político. O segundo que se auto exilou na iniciativa privada, ex-presidente da Câmara de Vereadores e principal estrategista da campanha, Rosivaldo Pelota cuida dos negócios na Bahia.

Agora, mais uma aliada de primeira hora, Cristina Freire fiel cabo eleitoral do prefeito e, até bem pouco tempo, aguerrida defensora dele, Demitida semana passada sem muitas considerações da presidência do Funcristal dos servidores públicos municipal. Diferente do vice Luiz Henrique que ensaiou algumas declarações e acabou recolhido em sua sala de despachos, sem direito plaquinha de identificação na porta, Cristina fez barulho. Muito barulho! Ela postou vídeo nas redes sociais e na sua página pessoal no Facebook atirando politicamente contra o prefeito e vereadores aliados dele. Sobrou também para o único que marca oposição propositiva e fiscaliza com lupa a gestão de Daniel: vereador Valter [Valtinho] Thomaz (PSD).

Em sua publicação, Cristina insinua que foi demitida por não compactuar com o mal feito (link https://www.facebook.com/cristina.freire.3304?fref=search&__tn__=%2Cd%2CP-R&eid=ARB08NznTMuuiEw3HoXlwkk9J_EQ8UzOa28j0A9vJCUjeoIazpN_2CMU_shtOD0Mj81PrAvYB70Zpz0G).

Diz ela num dos trechos que o vice-prefeito Luiz Henrique assim que encerrou a disputa eleitora para deputado estadual, ele fez um desabafo na Câmara de Vereadores se queixando dos aliados que o abandonaram na campanha. “O presidente [da Câmara] jogou na cara dele que ele detinha 70 cargos na prefeitura”, deixando transparecer que o vice perdeu por inanição de votos, pois tinha muita gente aboletada na administração municipal. Cristina ironizou no vídeo dizendo que cada vereador deve ter no mínimo 30 cargos.

Cristina segue em seu rosário de denúncias e queixas sobre a gestão Daniel do Sindicato e a Câmara: “A principal função do legislativo e fiscalizar o Poder Executivo, mas os vereadores não fazem com receio de serem prejudicados em seus interesses”, numa clara insinuação de que existe conluio entre os dois poderes.

Segundo ela, “alguns meses atrás estive conversando com um vereador e ele me disse: Cristina, existe um esquema para a gente se manter no poder. Se você não pode colaborar, peça licença e saia do Funcristal. Nesse dia aconteceu uma reunião com o prefeito e pediram minha cabeça” Segue ela em seu relato: “O prefeito me pediu para sair e eu disse que ele me demitisse. Demorou mais de três meses para que isso acontecesse”.

A ex-presidente do Funcristal acrescenta que “minha relação com o prefeito começou a ficar difícil já nos primeiros meses de 2017, quando ele viu que tinha um processo da prefeitura pedindo que o Funcristal pagasse um valor superior a R$ 3 milhões como compensação de débitos com o município. Consultei o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), órgão que nos fiscaliza e fui instruída a não fazer o repasse, tanto que o juiz mandou extinguir o processo”.

A professora é categórica em afirmar que a situação do município é delicada sob o olhar fiscal e contábil. “Nos próximos quatro mandatos [até 2037], o gestor terá que repassar ao Funcristal algo próximo de R$ 1,5 milhão mensalmente. Além disso, R$ 3 milhões referentes a indenizações do retroativo dos professore e mais R$ 2 milhões também sobre titularidade”. Se confirmadas essas denúncias, a população de Cristalina terá muitas dificuldades para receber serviços públicos da prefeitura de que tanto necessitam.

Sobre o episódio da briga entre Daniel e Luiz Henrique, Cristina reservou um capítulo à parte, deixando claro que o vice, maior aliado durante a campanha para prefeito, aprendeu com a convivência no poder quem realmente é Daniel. “A história contada em palanque de que seriam dois prefeitos, foi apenas mais uma história para enganar o eleitor”. E desce a borduna: “As eleições de 2018 foram importantes para você [Luiz Henrique] saber quem era a pessoa que te deu aquele abraço em 2016. Muitos votaram em Daniel por sua causa”. E conclama o vice a fazer um final diferente honrando seus votos para deputado. “Mostre o seu valor e conhecimento colocando em votação o projeto dos conselhos na administração”. Este projeto, segundo Cristina, foi o motivo de sua demissão.

A ex-Danielista disse que fizeram audiência pública em junho do ano passado e “até hoje o nome que altera o instituto para Cristalprev não foi votado. Não é a vontade dos servidores que prevalecerá, mas, sim dos vereadores que engavetaram o pedido de alteração”, conclui.

Quanto ao vereador Valtinho que havia questionado na justiça a então gestora do Funcristal pelo atraso dos repasses patronal e laboral, Cristina foi enfática dizendo que Valtinho “precisava estudar mais e ser menos oportunista”. O vereador respondeu com elegância às críticas, mas pontuou ironicamente: “Errar é humano. Todos tem a oportunidade de reconhecer seus erros e mudar sua conduta. Que sirva para a senhora também, Dona Cristina. Contra fatos não existem argumentos e não será um vídeo ponderando como a senhora mesmo disse que irá fazer sumir documentos, especificamente atas de reuniões onde o conselho, a senhora e o senhor prefeito [Daniel do Sindicato] estavam presentes”. Continua Valtinho: “Afirmaram que estava em atrasos não só o patronal, mas o laboral também. Dona Cristina, vocês assinaram as atas!

Vereador Valter [Valtinho] Thomaz acusado por Cristina de ser “oportunista político” respondeu em nota, que sua função é fiscalizar o poder público e fulmina Cristina com uma pergunta que ela deixou no ar em seu vídeo: “Cristalina e eu estamos ansiosos para saber quem é o que pediu para a senhora deixar o cargo e que esquema é esse para se manterem no poder”?
Vereador Valter [Valtinho] Thomaz acusado por Cristina de ser “oportunista político” respondeu em nota, que sua função é fiscalizar o poder público e fulmina Cristina com uma pergunta que ela deixou no ar em seu vídeo: “Cristalina e eu estamos ansiosos para saber quem é o vereador que pediu para a senhora deixar o cargo e que esquema é esse para se manterem no poder”?
O vereador rebateu a acusação sobre sua conduta parlamentar dizendo que “não faço manobras políticas, não preciso me promover. Se quisesse teria vindo a público o protocolo do pedido de investigação. Gosto é de justiça e não de especulações”, sublinhou. Valtinho questiona também a prestação de contas dela no Funcristal: “Li toda a prestação de contas da senhora. Eu que não sou tão ‘letrado’ como a senhora e pessoa entendida em gestão pública, qualificada para o cargo, custei a acreditar no que vi. Em toda a história do Funcristal nunca houve contratos tão altos com advogados e contadores!

Ao final de seu texto publicado em suas redes sociais, Valtinho deixa um convite à ex-presidente do Funcristal para visitar a Câmara de Vereadores e “fazer uma leitura nas atas assinadas pela senhora, os conselheiros e o senhor prefeito na prestação de contas de 2018”. O vereador deixa claro que sua função é fiscalizar atos da administração pública municipal e “farei isso até o fim do meu mandato”. Valtinho conclui sua nota arguindo Cristina: “Antes que eu esqueça: quais são os problemas que existem no Funcristal que fez o prefeito demitir a senhora? Os servidores precisam saber!

Respeitando o direito ao contraditório e a pluralidade da informação, o blog deixa aberto espaço para, se desejarem, o prefeito e os vereadores se manifestarem.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN