Vereador Zé Antônio é uma paisagem política sem mistérios, mas quer assustar Pábio Mossoró

0
Prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró (MDB) não vai interferir na disputa para a presidência da Câmara de Vereadores, polarizada entre os vereadores Zé Antônio (MDB) e Plácido Cunha (Avante), ambos da base de Mossoró. (Montagem sob fotos do Facebook pessoal)

Na atividade política, poucas vezes prevalece o conceito de amizade, quando muito firma-se um pacto de ocasião. Como bem lembrou o dramaturgo, jornalista e escritor brasileiro, Nelson Rodrigues (1912-1980): “Toda coerência é, no mínimo, suspeita”, portanto, não espere que exista ‘lealdade canina’ entre os políticos. Que o diga o vereador e presidente da Câmara, José [Zé] Antônio (MDB) até bem pouco tempo era o fiel escudeiro do prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró (MDB).

Agora, passada a batalha da reeleição, Zé Antônio volta suas baterias para a reeleição da Mesa Diretora da Câmara, reivindicando novamente a primazia em ser reconduzido ao cargo de presidente. O problema é que o prefeito Pábio Mossoró não vai interferir na disputa por uma questão de lógica: Zé Antônio e Plácido Cunha são de sua base. Como líder do grupo que tem maioria na Câmara, seria um tremendo erro entrar na disputa para apoiar um outro, dividindo estas forças.

Zé Antônio acredita que por ter sido o mais votado (1.100 votos), merece ser ungido novamente chefe do legislativo municipal. Para desistir deste objetivo, mesmo sabendo que dificilmente vencerá, quer arrancar do prefeito o compromisso em apoiá-lo para deputado estadual por Goiás em 2022.

Ai é onde mora a encrenca: Pábio Mossoró garantiu ao amigo histórico e aliado de primeira hora, Marcus Vinicius que a vaga é dele. Diante deste impasse, haverá ranger de dentes pois Plácido já teria votos suficientes para, caso Zé Antônio insista em disputar novamente a presidência da Casa, será derrotado no voto.

Mesmo sendo uma paisagem política sem mistérios, Zé Antônio quer pregar um susto em Pábio chamando sua atenção. Se esta estratégia vai funcionar, pouca gente acredita, afinal, o jovem vereador ainda é um aprendiz no ofício de domar cobras. E olha que no serpentário político de Valparaíso o que não faltam são cobras peçonhentas. O aliado de hoje pode ser o adversário de amanhã e vice-versa e no meio, interesses de grupos ou individuais. Registra-se: todos legítimos, no final da contabilidade o que importa é alcançar o poder e Zé Antônio quer mais, até se aliar aos adversários do prefeito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN