PP de Alexandre Baldy caminha para ser o ponto de (des)equilíbrio à reeleição de Ronaldo Caiado

0
Empresário, presidente do Progressista em Goiás e atualmente secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy divide sua agenda nos finais de semana entre Goiânia e a capital dos paulistanos. Tido no meio político e empresarial como um workholik, Baldy nunca perde o foco em seus objetivos, movendo-se com determinação e obstinação até obter resultados positivos. (Arquivo pessoal).

As disputas eleitorais no País são interligadas e assim que os vitoriosos tomarem posse em 1° de janeiro de 2021, tratativas para formar alianças visando a disputa eleitoral de 2022 passam a fazer parte da agenda. Muitas destas conversas foram acertadas durante a campanha municipal pelas lideranças que pretendem disputar cargo legislativo estadual e no Congresso, mas o ‘sim’ definitivo requer muitas horas de prosa.

Feitas as contas das urnas, Democrata, Progressista e o PSD foram os que mais cresceram no país e em Goiás, a exceção foi dos pessedistas que tiveram desempenho tímido. Estes números fazem do governador Ronaldo Caiado favorito à reeleição, mas também coloca o líder dos Progressistas, Alexandre Baldy como aliado preferencial no (des)equilíbrio de forças na disputa para o governo em 2022.

Seguindo a máxima de que “não existe cedo demais em política e sim tarde”, o governador de Goiás, segue este rito e procura manter seu capital político garantindo uma boa vantagem à reeleição. Para isso, mantém um olho na gestão e outro nos partidos de sua base para que não haja ruptura entre os aliados. Dentre estas siglas vitoriosas que ganharam musculatura eleitoral, o Progressista – antigo PP – terá espaço Vip no governo.

Na ordem de importância vem o Podemos liderado no estado pelo deputado federal José Nelto, o PSD da dupla Vilmar Rocha/senador Vandelan Cardoso entre outras legendas, digamos, menos robustas em quantitativo de votos, mas importantes como força política.

Embora nunca tenha declarado publicamente que o Progressista de Baldy tornou-se a joia mais valiosa do ativo político de seu governo, Caiado fará tudo para manter a legenda ao seu lado em 2022. Para tanto, especula-se nos bastidores que, além da secretaria de Cultura de Goiás, o governador deve oferecer a Secretaria de Desenvolvimento Social ao partido.

Atualmente a pasta é comandada pela ex-senadora Lúcia Vânia, mas o serpentário político goiano garante que ela já limpou as gavetas. Pelo sim ou não, o discreto, meticuloso e introspectivo Baldy não emite nenhum sinal sobre 2022, apenas sorri quando o assunto é o futuro. Ele tem convicção que o Progressista tornou-se o ponto de inflexão na disputa ao Governo de Goiás, portanto, a hora é de observar os possíveis protagonistas e analisar os movimentos de cada um.

Mesmo tendo apenas uma vaga para o Senado em 2022, Baldy trabalha para disputar este cobiçado cargo, preferencialmente numa chapa forte que, neste momento, aponta para Ronaldo Caiado. Caso não dê certo, faixa de boas-vindas o aguardam no MDB. Por enquanto, concreto mesmo é sua posição privilegiada no cenário político de Goiás sustentado pelos 31 prefeitos eleitos, incluindo a terceira cidade mais importante de Goiás, Anápolis. Este ativo de votos faz do Progressista ponto de (des)equilíbrio numa disputa majoritária.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AN